Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
14:00:00
Em Alta
18:00:00
 
 

Cookies e Política de Privacidade
A Tua Rádio utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

CIC e CDL defendem retorno da cogestão

por Denise Furlanetto
Foto: Divulgação

A CIC e CDL de Garibaldi divulgaram na manhã desta segunda, 1°, uma nota oficial defendendo a volta da cogestão. Destacam que a obrigação em seguir os protocolos da bandeira preta é tão danosa como o avanço da pandemia no Rio Grande do Sul. Confira a nota na íntegra.

"Desde a quinta-feira passada, quando o Governo do Estado suspendeu o sistema de cogestão e anunciou que todo o RS deveria seguir os protocolos de Bandeira Preta, a CIC e a CDL de Garibaldi estão em permanente ação, através da FCDL-RS, Federasul, CICS Serra e Amesne, para reverter esta decisão.

Classificamos esta determinação tão danosa para nossa sociedade como o recente e calamitoso avanço da pandemia do Novo Coronavírus.

Este movimento institucional ganhou repercussão junto ao Comitê de Crise do Governo Estadual. Mesmo não surtindo efeito sobre a cogestão, conforme o próprio governador, Eduardo Leite, essa pressão fez com que os protocolos para o Comércio fossem modificados, com a autorização de venda por tele-entrega, o que antes era vedado terminantemente.

Durante todo o final de semana, nossa equipe trabalhou e segue trabalhando com o intuito de sensibilizar as autoridades para reverter a suspensão do sistema de cogestão, a qual retira dos Municípios o direito de tomar decisões conforme a realidade de cada região.

Os lojistas aprenderam na prática que o distanciamento responsável – incluindo o uso de máscaras e higienização adequada – consiste na melhor das prevenções contra a contaminação.

A constatação é simples: a difusão do vírus ocorre em episódios de aglomeração e falta de proteção adequada.

As lojas, fábricas e prestadores de serviços que respeitam as regras de distanciamento e higiene não devem ser alvo de sanções de funcionamento.

Fechar o setor produtivo não detém o Coronavírus, porém, multiplica o empobrecimento dos gaúchos pelas falências, desemprego e suas decorrências na direção das várias e lamentáveis facetas da miséria humana".

CIC/CDL

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio Garibaldi

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais