Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
19:00:00
A Voz Do Brasil
20:00:00
 
 

História

História da Rádio Garibaldi

A vertente da Rádio Garibaldi começou em 29 de junho de 1950, quando foi improvisado um transmissor artesanal, construido por Marcelino Tosin, para transmitir a missa da festa de São Pedro. Foi a primeira transmissão de rádio que se tem notícia no município e comenta-se que teria sido captada até as imediações do Cemitério.  Em vista do sucesso alcançado, um grupo de Jovens da Ação Católica, juntamente com Frei Marcos Fachinelli (Frei Eusébio), conseguiram com o então Prefeito Heitor Mazzini, no dia 8 de setembro de 1950, a necessária licença para instalarem definitivamente uma emissora de rádio em Garibaldi, que substituiria o serviço de altofalantes “A Voz da Ação Católica”, mesmo que o Prefeito não tivesse poderes para tanto. Após a concessão da licença pelo Prefeito, foi construido por Marcos Balbinot, também de forma artesanal, aquele que seria o primeiro Transmissor da RÁDIO EMISSORA MUNICIPAL.

Em 04 de novembro de 1950 Claimar Lorenzi proclamou o discurso de inauguração da Rádio Emissora Municipal, através de um transmissor instalado junto ao serviço de autofalantes “A Voz da Ação Católica”.
Era a semente da Rádio Garibaldi sendo lançada aos ares.  Após um ano de muito trabalho e idealismo os jovens perceberam que apenas trabalho e idealismo não eram suficientes para manter uma emissora de rádio no ar. Na época não havia interesse da indústria e comércio em patrocinar a programação, o que dificultava a manutenção dos precários equipamentos, além do que, a licença concedida pelo Prefeito não tinha valor legal, pois naquela época competia ao Departamento de Correios e Telégrafos a incumbência de licenciar a instalação de emissoras de rádio.

Assim, os jovens procuraram os Freis Capuchinhos para que estes assumissem a Rádio Emissora Municipal, pois entendiam que a Paróquia São Pedro teria mais condições de bancar o funcionamento permanente de uma emissora de rádio.  Os Freis Siro Severino Ferretto e Abramo Roncatto, sabedores da importância de uma emissora para a comunidade como apoio na evangelização, resolveram apostar na idéia de assumir a emissora, mas decidiram pela legalização da Rádio.
Desta forma, em 3 de outubro de 1951, através de um Contrato Social, criaram a RÁDIO DIFUSORA GARIBALDI LTDA, com Capital Social de CR$ 80.000,00 (Oitenta mil cruzeiros). Foram testemunhas os Srs. Jamil Koff e Etelvino Varaschin. O Contrato Social foi registrado na Junta Comercial do Rio Grande do Sul em 9 de outubro de 1951, com o protocolo nº 80586.

Estava criada a empresa para abrigar a rádio, agora viria o processo de legalização da emissora junto ao Governo Federal, cujo processo iniciaria em 1952.  Em 25 de Julho de 1952 a Comissão Técnica de Rádio emitiu o Parecer nº 316, sendo favorável ao licenciamento da Rádio Difusora Garibaldi Ltda.
Porém, somente no dia 04 de abril de 1955 foi emitido o Ofício nº 4.335, do Departamento de Correios e Telégrafos, confirmando o Parecer da Comissão Técnica.  Finalmente, no Diário Oficial da União de sábado, 7 de maio de 1955, foi publicada a Portaria nº 401 de 26 de abril de 1955, onde o Ministro de Estado autoriza o funcionamento em 1480 Kc e com a potência de 100W.

Para completar o processo ainda faltava a emissão da Licença de Funcionamento, que viria somente em 05 de junho de 1956, mas que fixou a data de validade como sendo 25 de fevereiro de 1956.  Era a ZYU47 oficialmente no ar.  Juntamente com o processo de legalização vieram os investimentos em instalações e equipamentos.  O transmissor foi transferido do centro da cidade para a localidade do Borghetto, onde permanece até hoje e os estúdios foram instalados junto ao Salão Rex Populi, onde funcionava o escritório paroquial e o cinema.

No Borghetto foi construida a Planta Transmissora com uma torre de 54 metros, cuja base de concreto, datada de 5 de novembro de 1955, permanece lá até hoje. 

Após essa etapa de legalização e implantação, liderada pelos Freis fundadores, por muitos anos a direção esteve a cargo de Frei Nicolau Lucian, que foi primeiro Rádio-Técnico da Província dos Capuchinhos, certificado auferido em 12 de abril de 1952, e que tinha o nome religioso de Frei Gabriel de Garibaldi, que montou uma equipe profissional, gerenciada por Henrique Dalmás.

Frei Reinaldo Pasinatto, Henrique Dalmás, Tercilio Luiz Conci, Frei Nicolau Lucian, Vandenir Antonio Miotti, Moacir Tosin, Leonice Dalmás e Benito Rosa.
Também ainda está no local a base que sustentava os estais do segundo sistema irradiante, concretados em 9 de novembro de 1976, conforme inscreveu no concreto o Frei Romoaldo José Breda, designado como responsável técnico pelas várias emissoras da Província dos Capuchinhos.  Frei Nicolau Lucian comandou a Rádio Garibaldi até falecer  em 03 de maio de 1985. 

A programação era variada, musical e informativa, mas sempre com a transmissão das missas dominicais e muitas dedicatórias de músicas, pagas, como forma de homenagem nos aniversários, noivados e casamentos, o que deu sustentabilidade para manter a rádio num período em que quase não havia divulgação de propaganda. A Rádio Garibaldi tem uma longa história na cobertura de eventos na região.  Com uma estrutura raramente encontrada em emissoras do interior, a programação foi qualificada em conteúdo e qualidade de áudio, proporcionando excelentes condições de trabalho aos funcionários.


Com a morte de Frei Nicolau, a partir de 1985 Frei José Ferronato (Frei Nestor) assumiu a direção da rádio.  Frei Nestor deu um grande impulso tecnológico à rádio, importando transmissores, mesas de som, processadores e equipamentos para transmissões externas.  Em 01 de junho de 1995 foi adquirida a Rádio Champagne fm e novos investimentos foram necessários na planta transmissora para abrigar a nova rádio fm que passava fazer parte do grupo.  O novo sistema irradiante, formado pela torre que sustenta um monopolo dobrado para AM, e os elementos irradiantes para FM no topo, foi um dos primeiros assim construidos no Rio Grande do Sul.

Em 1996 foi iniciada uma reforma geral nos estúdios, dentro de uma nova concepção, que integrava cinco estúdios sem central técnica e informatizava todo processo de produção e administração da rádio, uma verdadeira revolução de métodos e processos, integrando o computador como ferramenta de trabalho numa época em que a maioria das emissoras ainda usava fita cassete, cartucheira e minidisc na programação.  A partir de 4 de outubro de 1999 entrou no ar a primeira página na internet, e um ano depois, em 4 de outubro de 2000, a Rádio Garibaldi também passou a transmitir seu áudio através da rede mundial de computadores, sendo a pioneira das emissoras dos Capuchinhos na internet, proporcionando que internautas de todo mundo pudessem acompanhar as notícias da cidade e ouvir a programação ao vivo através do computador.

Em 10 de março de 1999 as emissoras da Província dos Capuchinhos-RS foram reunidas na Rede Sul de Rádio, formando a maior rede de rádios do interior do Rio Grande do Sul, com o objetivo de padronizarem a linguagem e o formato de programação.
Seguindo este objetivo, em 30 de abril de 2002 foi extinta a empresa Rádio Difusora Garibaldi Ltda e todo seu patrimônio e pessoal foram transferidos para FUNDAÇÃO CULTURAL DA SERRA, que passou a ser a entidade mantenedora das emissoras AM e FM de Garibaldi. 

Assim, a Rádio Garibaldi é uma grande alternativa para atingir a Região Nordeste do Estado, reunindo em um só veículo, a agilidade do rádio com a capacidade de análise do jornal, fazendo coberturas nacionais e internacionais, mas com o foco de sua programação voltada para a região de cobertura de seu sinal.

Mas o mundo não para e a Rádio Garibaldi AM, sempre atenta às mudanças, acompanha as tendências de forma permanente. Em 2006 novos investimentos nos estúdios, os velhos computadores e monitores de tubo são todos substituidos por novas máquinas e monitores de LCD, cada vez mais é a informática ditando as regras rumo a digitalização.  Muitos ajudaram a construir essa história e a história não se esgota num registro e sempre poderá ser recontada por alguém que incluirá personagens ou fatos que, se não estão aqui, nem por isso deixam de ser história.

RÁDIO GARIBALDI AM 
EM SINTONIA COM VOCÊ
25.02.1956 

Pesquisa, montagem e redação: José Parise
Colaboração: Frei Romoaldo José Breda e Henrique Dalmás
Garibaldi, 25 de Fevereiro de 2009.
 

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.