Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
00:00:00
Igreja no Rádio
05:00:00
 
 

Dia do Ciclista: ciclismo é uma das práticas esportivas que mais cresce em Soledade

por Nayam Franco

Esporte vem ganhando adeptos de todas as gerações

(divulgação/Facebook)
Foto: Divulgação

Um dos esportes que mais cresceu em Soledade nos últimos anos, definitivamente, foi o ciclismo. Com adeptos de todas as idades, a prática esportiva vem tomando proporções cada vez maiores.

Conforme ciclista Antônio Carlos Faoro, o Tio Caio, esse esporte é muito democrático, e por isso, se vê cada vez mais pessoas adeptas a prática.

"É um esporte que não importa se você é rico ou pobre; magro ou gordo; todos podem praticá-lo", contou Tio Caio. Segundo ele, a data é uma lembrança também pra muitas melhorias que devem ser feitas principalmente no convívio entre motoristas e ciclistas.

"Aqui em Soledade ainda bem que somos privilegiados, temos um trânsito mais consciente com esses ciclistas. Pois hoje eles são os motoristas, amanhã eles ou algum familiar poderão ser os ciclistas", explicou.

Algumas dicas para você que planeja ingressar o esporte:

- Pedale no mesmo sentido dos carros. Muitos dizem que na contramão você verá os veículos com mais facilidade, mas isso é equivocado. Quando a bicicleta anda na mão correta, o motorista tem maior tempo de reação. Em sentidos contrários, a velocidade da bicicleta se soma à do carro. Ou seja: um ciclista a 20 km/h que encontra um automóvel a 60 km/h vai aparecer, para os condutores, a 80 km/h, uma velocidade inesperada e muito acima do que os reflexos humanos estão preparados para receber naquele momento.

- Use o capacete, sempre! Quedas de bicicleta são a baixa velocidade. Porém, um impacto pequeno sobre o crânio é capaz de causar grandes danos e até a morte. Use sempre o capacete, devidamente ajustado e afivelado. No caso de transportar crianças em cadeirinhas apropriadas, cuide para que elas também estejam com capacetes de tamanhos corretos, atados pela fivela.

- Luzes de segurança. Apesar de o ciclista enxergar com facilidade usando apenas a iluminação das ruas, as luzes vermelhas, para a parte traseira, e branca, para a dianteira, tornam a bicicleta mais visível para os motoristas e pedestres. Além delas, há também faixas reflexivas em coletes e caneleiras, que brilham com a luz dos faróis e alertam os condutores sobre a presença do ciclista.

- Atenção aos cruzamentos. Motoristas de carros, ônibus e caminhões, assim como motociclistas, usam a visão periférica para perceber se podem fazer conversões e seguir em frente em cruzamentos. Bicicletas, por serem menores, não são vistas com a mesma facilidade. Nos cruzamentos, leve em conta que os motoristas podem não estar vendo a bicicleta, e, na dúvida, pare ou dê passagem - mesmo que a preferência seja sua.

- Cuidado aos pontos cegos de ônibus e caminhões. Como são altos e extensos, veículos de passageiros e carga têm muitos pontos cegos, principalmente perto dos espelhos retrovisores. É comum, em sinais de trânsito, o ônibus começar a andar sem perceber que um ciclista está ao lado. Considere que, em curvas e esquinas, é melhor não dividir a pista com veículos grandes.

- Esteja atendo a portas de veículos estacionados. Um dos acidentes mais comuns envolvendo ciclistas e automóveis acontece quando os veículos estão parados. Ao passar rente à fileira de carros estacionados, o ciclista não percebe que o motorista ou um passageiro estão prestes a abrir a porta. Dependendo da velocidade com que isso acontece, não há tempo para parar ou desviar. Esteja atento aos movimentos no interior dos veículos e evite passar muito perto dos carros estacionados.

- Não ande entre os carros. Em vias congestionadas ou de baixa velocidade, é comum o ciclista tentar ganhar tempo trafegando entre as filas de carros, como fazem as motocicletas. É um comportamento extremamente perigoso, justamente por ser uma prática dos motociclistas. Como andam em velocidade maior, as motos não têm tempo de parar quando surge uma bicicleta - sempre bem mais lenta.

- Vias de grande circulação. Procure traçar rotas que excluam as vias de grande circulação, como avenidas e ruas em que a velocidade dos carros é mais alta. Quanto mais rápidos estão os carros, pior para os ciclistas. Opte por ruas paralelas e, se preciso, faça o caminho mais longo, de maneira a andar na mão, em pistas de baixa velocidade e com menos cruzamentos.

- Evite calçadas. A calçada é do pedestre. Quando trafega sobre o passeio, o ciclista passa a ser a ameaça, e infringe as leis de trânsito. Evite ao máximo passar pelas calçadas, e, se necessário, use o passeio público apenas em horários sem movimento de pedestres e certo de que está vendo e sendo visto. A passagem da calçada para o asfalto é sempre perigosa, pois a bicicleta surge repentinamente para os motoristas.

- Sinalize com as mãos. Use as mãos para indicar que vai dobrar a rua, que vai precisar se deslocar mais para o meio da pista ou parar. Ao informar aos motoristas e pedestres o que pretende fazer, o ciclista torna seu movimento mais previsível, e age da mesma forma que os veículos, ao ligarem as setas e sinais luminosos.

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio Cristal

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais