Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
20:00:00
Tua Essência
23:59:00
 
 

Cookies e Política de Privacidade
A Tua Rádio utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Sistema Público de Saúde oferece tratamento e acompanhamento para pacientes psiquiátricos

Baixar Áudio por Taliane Radaelli

Os serviços de apoio são realizados através do Matriciamentos, do Caps e das ESFs

Foto: Divulgação

Cuidar da saúde mental não é uma tarefa fácil e para as pessoas que não tem acesso a rede particular de saúde pode se tornar ainda mais complicado, isso porque, grande parte da população não tem conhecimento sobre os tratamentos e centros de apoio ligados ao SUS - Sistema Único de Saúde. Em Marau, o acesso a psicólogos e psiquiatras, de forma gratuita, é uma realidade e pode ocorrer através do Matriciamento, do Caps - Centro de Apoio Psicossocial e das ESFs - Estratégia Saúde da Família.

Sobre o assunto, conversamos com os psiquiatras, Cristian Migliorini e Caroline Fredi, que nos ajudam a entender esses processos. Como explica Caroline, o Matriciamento é uma espécie de apoio aos pacientes e profissionais das doze ESFs de Marau. Através de reuniões mensais, as duas psiquiatras responsáveis pelo matriciamento e a equipe do ESFs discutem e analisam os casos atendidos. Através desta avaliação é possível entender quais pacientes apresentam sintomas mais graves para transtornos e doenças mentais, estes, são encaminhados para o Caps, enquanto os demais seguem com o atendimento junto ao ESF. 

Dessa forma, o matriciamento serve como “filtro” para o Caps, que, como explica Cristian, tem seu atendimento mais focado em pacientes com maior vulnerabilidade, como por exemplo, pessoas com psicoses e depressões em estágios mais avançados. O Centro de Apoio também conta com uma equipe multidisciplinar incluindo, além do psiquiatra, psicólogos,  enfermeiros e técnicos. De acordo com Caroline, no segundo semestre de 2020, 150 casos foram analisados pelo Matriciamento, destes, 17% foram encaminhados para o Caps. 

Para ter acesso a estes serviços, explicam os psiquiatras, a porta de entrada é o ESF. Lá os profissionais irão saber identificar as necessidades de cada paciente e se julgarem necessário, encaminham a pessoa para os serviços Caps ou Matriciamento. 

A entrevista completa com Caroline Fredi e Cristian Migliorini, está disponível no áudio da matéria. 

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio Alvorada

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais