Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
05:00:00
Tá na Hora
07:00:00
 
 

Trabalhos do CAD iniciam no Hospital Cristo Redentor neste mês de abril

por Camila Agostini

Atividades do Centro do Aparelho Digestivo apresentam vantagens diferenciadas a pacientes, instituição, bem como, aos planos de saúde

Foto: Divulgação

Um novo serviço será integrado à rotina de atendimentos do Hospital Cristo Redentor. O CAD - Centro do Aparelho Digestivo deve iniciar os trabalhos na instituição maraunse ainda na primeira quinzena de abril. Algumas atividades, porém, já foram realizadas. Em março, quatro procedimentos foram concluídos com sucesso, incluindo da primeira cirurgia bariátrica e metabólica da cidade. Em virtude da estrutura encontrada no HCR, com adequada sala de recuperação, leitos individualizados e assistência de enfermagem qualificada, a alta dos pacientes ocorreu após 12 horas de internação.

"Os cuidados na indução anestésica, com uso de doses de medicamentos que reduzem a inflamação peritoneal causada pelo pneumoperitônio e técnicas de insuflação intermitente mantendo o abdômen sempre adequado na sua pressão, previnem a injúria que leva a dores mais intensas. Além disso, uma anestesia combinada de duas modalidades, uma geral, realizada pelo anestesista, e a local, realizada pelo cirurgião antes do início das punções, tornaram esses procedimentos muito seguros e com excelente controle da dor", relatam os médicos, Matheo Casagrande e Ricardo Zanin, responsáveis pelas intervenções.

As vantagens da curta permanência no hospital também se tornam parte do bom desempenho do procedimento. A garantia de alta após breve período de internação diminui o risco de infecções, os custos são mais acessíveis para pacientes, bem como, aos planos de saúde e ao hospital. Ainda, para o paciente, o rápido reestabelecimento das atividades laborais, uma menor dor pós-operatória e a redução do estresse e da ansiedade do ato cirúrgico são vantagens a serem amplamente consideradas. 

“Almejamos com esta modalidade trazer mais benefícios, com menores riscos e gastos mais equacionados para os pacientes e uma maior otimização dos custos para as instituições, planos e empresas que fomentam a saúde, tornando mais sustentáveis as relações”, acrescentam os profissionais do CAD.

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio Alvorada

Enviar Correção

Comentários