Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
00:00:00
Igreja no Rádio
05:00:00
 
 

Novo laudo aponta que reformas na Escola Arlinda Manfro poderiam ser realizadas nas férias de inverno

Baixar Áudio por Isadora Helena Martins

Segundo Velocino Uez, uma nova avaliação determinou que os reparos poderiam ser concluídos em, no máximo 30 dias, e evitar a transferência dos estudantes para Galópolis

Foto: Carolina Canton

O vereador Velocino Uez (PDT) voltou a trazer o problema envolvendo os estudantes da Escola Municipal de Ensino Fundamental Professora Arlinda Lauer Manfro, localizada em São João da 4ª Légua, interior de Caxias do Sul. Nesta sexta-feira (12) será o último dia de aula dos estudantes, dando início às férias de inverno. No retorno das aulas, em agosto, eles já seriam transferidos para um novo local, que conforme a Secretaria Municipal da Educação (Smed) será em um ginásio de esportes, em Galópolis. Por determinação da Smed, a escola Arlinda Manfro será interditada devido a problemas estruturais.

Mas, conforme Uez, a comunidade não quer que os estudantes sejam transferidos para o novo local, pois a distância é maior e o ginásio não apresenta as condições adequadas para abrigar os estudantes por um prazo ainda indefinido. Além disso, o parlamentar ressaltou que as principais reformas na escola Arlinda Manfro poderiam ser realizadas agora, nas férias de inverno. 

Outro questionamento levantado pelo vereador foi sobre os valores gastos para adaptação do ginásio de esportes para abrigar os estudantes. Segundo ele, serão gastos cerca de R$ 30 mil reais para o conserto do telhado e implantação das divisórias. De acordo com o orçamento repassado pelo engenheiro que fez a vistoria na Escola Arlinda Manfro, o valor necessário para realizar os reparos no local seria praticamente o mesmo.

O vereador Edson da Rosa (MDB), que preside a Comissão de Educação da Câmara, também defendeu que os alunos não sejam transferidos para o ginásio em Galópolis devido às condições insalubres.

Mesmo com as tentativas de diálogo da comunidade, Uez afirmou que a Smed não acatou a vontade dos estudantes e dos moradores da 4ª Légua, mantendo a decisão da transferência. Agora, os pais, professores e alunos aguardam a decisão do Ministério Público (MP) para tentar impedir que os alunos saiam do interior para estudar em Galópolis.

O MP também deve solicitar nos próximos dias informações ao Município sobre os custos com transporte e infraestrutura para transferir os alunos ao invés de reformar a escola da Arlinda Manfro.

Ouça no link acima da foto

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio São Francisco

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais