Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
00:00:00
Igreja no Rádio
05:00:00
 
 

Cookies e Política de Privacidade
A Tua Rádio utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Metade das pessoas que estão fazendo testes privados da Covid-19 têm positivado

Baixar Áudio por Denise Furlanetto
Foto: Divulgação

São três os testes à disposição da comunidade que apresentar sintomas de coronavírus. Cada teste tem a sua particularidade para que não apresente resultado falso negativo. É importante realizá-los dentro do período indicado para cada um deles. Nenhum dos exames requer preparo especial.  Os sintomas de coronavírus mais comuns são dores no corpo, febre acima de 38 ºC e tosse seca.

O teste ouro é o PCR. Os pacientes suspeitos que buscam atendimento no ambulatório Covid-19 são encaminhados para a realização deste teste, cuja coleta ocorre no período da manhã.

De acordo com a médica responsável pelo setor de epidemiologia, Natália Rodighero Leal, no início de fevereiro eram feitos de 30 a 50 exames diários que saltou para 85 a 110 exames/dia. Cresceu o número de positivados e 70% na faixa dos 18 aos 45 anos.

Em farmácias e também em laboratórios, são oferecidos o teste Rápido Anticorpos e Teste Rápido Antígeno (aquele do cotonete).

De acordo com o farmacêutico da Rede de Farmácias São João, Rodrigo Ghilardi, nos últimos 15 dias tem crescido a procura por testes e 48% dos pacientes têm positivado para a Covid-19.

A demanda de um mês para outro, de janeiro para fevereiro, teve um crescimento de 80%. Se for contar somente dados da última quinzena de fevereiro cresceu 436% a procura por testes. A faixa etária é de pessoas mais jovens que buscam testar.  E quando recebem o teste positivo, levam  familiares para testagem.

"Os sintomas de quem procura a farmácia são leves, queixando-se de dor de cabeça, dor no corpo e pouca febre. Quando o paciente tem resultado positivo a indicação é de que procure atendimento médico. Nunca foi tão alta a procura por testes”, diz o farmacêutico.

Entrevista em ouça a notícia
 

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio Garibaldi

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais