Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
10:00:00
Gente Nossa
14:00:00
 
 

Cookies e Política de Privacidade
A Tua Rádio utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Juiz da 54ª Zona Eleitoral com sede em Soledade fala da organização das eleições 2020

Baixar Áudio por Marcus Vinicius Prates de Souza

Convenções partidárias deverão ocorrer de 31/08 a 16/09

Juiz Eleitoral, Dr. José Pedro Guimarães
Foto: Pulinho Paes/Tua Rádio Cristal

Após a confirmação oficial do adiamento das eleições municipais de 2020 para os dias 15 e 29/11, em primeiro e segundo turnos, com isso mudando os prazos eleitorais, o trabalho de organização da justiça eleitoral se torna vital para a organização dos atos prévios e de sistematização do pleito vindouro.

José Pedro Guimarães, Juiz da 54ª Zona Eleitoral, com sede em Soledade, atendendo ao convite da Tua Rádio Cristal esclareceu, na manhã desta quinta-feira, 09/07, detalhes de como se dará o pleito deste ano. Segundo o magistrado, em função da Emenda Constitucional 107, que alterou as datas da eleição, houve a alteração do calendário eleitoral e os prazos foram todos prorrogados por 42 dias. “O processo eleitoral, propriamente dito, terá início a partir de 15/08, quando começa as convenções partidárias para a escolha dos candidatos, vedada à coligação para as eleições proporcionais”, informou.

Para o juiz eleitoral, o TSE terá que dispor uma resolução a cerca da propaganda nas eleições, que na sua visão deverão ter bastantes alterações, a fim de se evitar aglomeração de pessoas e contato físico dos candidatos com os eleitores, pois, em municípios pequenos isso se dá corpo-a-corpo. “Precisaremos disciplinar a forma do voto no dia das eleições, especialmente o horário e o voto eletrônico, existem dúvidas se permanecerá ou não, pois há a necessidade de ter todos os cuidados para resguardar a saúde das pessoas, evitando contágio do coronavírus”, ponderou.

Outro tema abordado por Dr. José Pedro diz respeito às redes sociais e de maneira especial as chamadas fake news, no seu entendimento há a necessidade do TSE ser muito ágil no controle das notícias falsas, pois as mesmas podem enodoar o processo eleitoral, devendo haver um controle rigoroso, sob pena de acontecer anulação das eleições.

Para relembrar, sobre o tema mídias sociais, em seu discurso de posse, o ministro Luís Roberto Barroso enfatizou o compromisso da Justiça Eleitoral em assegurar a democracia brasileira e a preocupação da Corte com campanhas de desinformação, de difamação e de ódio na internet. “As mídias sociais, as plataformas de internet, os veículos de imprensa e a própria sociedade são os principais atores no enfrentamento da desinformação”, disse o ministro.

Sobre as orientações para os partidos políticos em relação às convenções partidárias o juiz eleitoral destacou que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) informou que os mesmos poderão realizar as mesmas de forma virtual, a partir de 31/08 até 16/09. A decisão de proibir as reuniões presenciais deve-se à pandemia do novo coronavírus.

Objetivamente sobre as convenções, quando haverá a possibilidade da escolha dos candidatos para a validação dos registros, o magistrado informou que, posteriormente, os partidos poderão fazer o registro da convenção e suas decisões, através através do Sistema de Candidaturas - Módulo Exteno (CANDex), sistema pelo qual partidos e coligações que pretendem concorrer nas eleições devem elaborar pedidos de registro de candidaturas, ferramenta esta disponibilizada pela Justiça Eleitoral.

Foi abordada ainda pelo magistrado a questão do período de desincompatibilização de agentes políticos, sobre o tema foi dito de que os prazos já passados, em tese, não sofrerão alterações, no entanto poderá haver nova deliberação do TSE, porem o juiz entende que a orientação que deve prevalecer é de que a emenda constitucional irá vigorar para frente.

Independente do que pode ainda acontecer, os dirigentes partidários, através de seus assessores jurídicos, tem passado a orientação aos pré-candidatos, especialmente servidores públicos, de se desincompatibilizem dentro do prazo antigo, para evitar qualquer discussão jurídica futura.

Ouça a entrevista com Dr. José Pedro Guimarães, na íntegra, no player de áudio acima.

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio Cristal

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais