Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
09:00:00
Temática
12:00:00
 
 

Cookies e Política de Privacidade
A Tua Rádio utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Médico explica porque ocorre a perda do olfato e do paladar em pacientes com coronavírus

por Ana Lúcia Jacomini

“Em média 69% das pessoas infectadas com Covid-19 sofrem de anosmia”, diz o profissional

Sintomas muito comuns em pacientes positivados com a Covid 19 é a perda do olfato e do paladar. Mas você sabe porque isso pode ocorrer? Quem explica é o médico otorrinolaringologista, Érik   Xavier da Silva Pinto. Segundo ele,  não sentir o sabor e o cheiro dos alimentos pode gerar um grande impacto na vida das pessoas. O cheiro e o paladar estimulam a vontade de comer, permite detectar alimentos e bebidas em mau estado ou evitar a adição em excesso de açúcar ou sal aos alimentos que prejudicam a saúde. O cheiro também pode trazer informações e riscos como um vazamento de gás, ou algo queimando, por exemplo.

Conforme o médico, há diferença entre o gosto e o sabor. O gosto é o azedo, o amargo, o salgado e o doce. O sabor é a diferenciação dos gostos, que é sentir se o doce é um chocolate ou um leite condensado, por exemplo, e isso depende muito do olfato. Cerca de 70% do sabor que sentimos, está à detecção do cheiro pelo nariz! Então quando a pessoa perde o olfato, ela, na verdade, vai ter uma alteração do sabor dos alimentos, mas o salgado, o doce, o amargo e o azedo, ela continua sentindo. Muitas pessoas que contraíram Covid-19 relatam a perda do cheiro e do gosto, o que chamamos de anosmia.

Em média, 69% das pessoas infectadas com COVID-19 sofrem de anosmia, sendo um sintoma muito prevalente e que, em muitos casos, é o único sintoma referido. Ao contrário dos outros sinais e sintomas que o SARS-CoV-2 apresenta (como febre, tosse, falta de ar, diarreia, dor de garganta ou dores musculares), a anosmia é incomum ser associada a outras doenças conhecidas. Isso pode acontecer porque o coronavírus produz uma alteração das células que sustentam o nervo olfativo, localizado no teto de nosso nariz, levando a um processo inflamatório intenso, não permitindo a detecção do cheiro e o paladar.

O tratamento consiste em iniciar precocemente as medicações já estabelecidas, associando o que chamamos de treinamento de cheiro, que consiste em exercícios diários com aromas específicos e sempre na mesma ordem para recuperar o olfato. Entre 50 a 70% dos pacientes que iniciam o tratamento têm recuperação completa. Portanto, lembra o médico, se uma pessoa notar uma perda repentina do olfato e do sabor, deve consultar o seu otorrinolaringologista, que poderá realizar o teste correspondente para confirmar ou descartar a possibilidade de uma infecção pelo coronavírus. ⠀

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio Alvorada

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais