Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
14:00:00
Em Alta
18:00:00
 
 

Cookies e Política de Privacidade
A Tua Rádio utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Como é realizado a atendimento de pessoas com Covid -19 nos hospitais referência na região

Baixar Áudio por Taliane Radaelli

Este conteúdo está disponível, também, no áudio da matéria

Foto: Reprodução / Agência Brasil

Para a nossa região, o Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) e Hospital de Clínicas (HCPF), ambos do município de Passo Fundo, são referência no cuidado de pessoas com Covid - 19. É para lá que os pacientes de 62 municípios da 6° Coordenadoria de Saúde são encaminhados quando apresentam um quadro mais grave da doença. A Médica Coordenadora da Unidade Especial de Doenças Infecciosas do HSVP, Sabrina Frighetto Henrich, participou do quadro Sáude e Bem Estar nesta Segunda - feira, 20/04, e contou como este trabalho está sendo realizado. 

Segundo ela, existem dois “centros de atendimento” que ajudam na organização dos profissionais na chegada dos pacientes. Um é chamado de Força Tarefa e é destinado aos habitantes do município de Passo Fundo que apresentam sintomas gripais. O segundo é o Núcleo Interno de Regularização, para identificar a gravidade do quadro e que tipo de cuidados devem receber os pacientes que chegam de outros municípios.

Sobre o tratamento, Sabrina, explica que, até o momento, não há nenhum medicamento com eficácia comprovada, apenas, aqueles que estão em análise e estudo. Os cuidados com pacientes confirmados e suspeitos de infecção por coronavírus são os mesmos, explica Sabrina, já que o resultado demora, no mínimo, 72h para chegar, os profissionais enquadram os pacientes que apresentam suspeita clínica e radiológica no mesmo tratamento dos pacientes já confirmados. 

Para os pacientes que recebem alta do hospital a recomendação é que sigam em isolamento, pelo menos, até que se completem os 14 dias do início dos sintomas ou da data de confirmação da doença. Sabrina ainda faz um comparativo entre o trabalho que está sendo realizado com a Covid-19 e o que foi realizado com a  H1N1 em 2009. Segundo ela, há uma diferença muito grande em razão do contágio, ele é muito maior quando se trata da Covid -19 e por isso a orientação é ficar em casa e principalmente evitar ao máximo as aglomerações que é onde há mais chance de contágio.

A entrevista completa com Sabrina Frighetto Henrich está disponível no áudio da matéria.

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio Alvorada

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais