Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
12:10:00
No Ponto
14:00:00
 
 

Liturgia para o 18º Domingo Comum

por João Carlos Romanini

Roteiro de celebração para o dia 04 de agosto. Cristo nossa riqueza, nossa vida.

Foto: Divulgação

“Cristo, nossa riqueza, nossa vida!”

 

ACOLHIDA

Animador: Queridos irmãos e irmãs, sejam bem-vindos, e a todos nossa saudação de Paz e Bem! Iniciamos hoje o mês vocacional destacando a vocação sacerdotal. A liturgia de hoje nos faz refletir sobre a vocação de um cristão verdadeiramente ressuscitado. O homem novo surge através da renovação na imagem de Cristo. Cantemos.

 

ATO PENITENCIAL

Animador: Chegou a hora de pedirmos perdão com sinceridade diante de Deus:

. Por todas as vezes que nos deixamos levar pela vaidade e pelas facilidades do mundo atual. Senhor, tende piedade de nós!

. Por todas as vezes que não deixamos morrer o homem velho dentro de nós, e ficamos inquietos por falta de fé. Cristo, tendo piedade de nós!

. Por todas as vezes que o preconceito insiste em dominar nossas relações. Senhor, tendo piedade de nós!

 

GLÓRIA

Animador: Louvemos a Deus, pela sua inesgotável fonte de bondade, nosso criador e guia, que, através de Jesus, nos renova diariamente dando novo sentido a vocação que escolhemos para viver.  Cantemos.

 

LITURGIA DA PALAVRA

Animador: “Vaidades das vaidades! Tudo é vaidade.” As leituras nos chamam a atenção para que saibamos valorizar as coisas que vem do alto, mudando o foco do nosso olhar sobre todas nossas ações e escolhas. Escutemos.

 

1ª Leitura: Eclo 1,2;2,21-23

2ª Leitura: Cl 3,1-5.9-11

Evangelho: Lc 12,13-21

 

REFLEXÃO

- A liturgia deste final de semana nos leva a refletir sobre questões fundamentais de nossa vida, como, por exemplo, os valores. Quais são os valores que temos? O que consideramos como valor? As coisas que nós valorizamos são realmente valores? Pode acontecer que nós gastamos adquirindo valores que diante de Deus não tem nenhum valor, como: bens materiais, status ou coisas que dão status, beleza física... coisas efêmeras, passageiras, descartáveis ou de pouca duração, e esquecemos de nos preocupar com o que realmente tem valor, que são as coisas eternas.

- Jesus nos diz: “onde está o seu tesouro, aí estará também seu coração”. Ou seja, se nosso tesouro consistir apenas em bens materiais, aí estará nosso coração, nossa preocupação, nossa atenção, e facilmente esquecemos de Deus e de nossos irmãos. Por outro lado, quando encontramos os verdadeiros valores, nossa vida, nosso comportamento muda e tudo o mais passa a ser relativo. Quando trabalhamos focados apenas no lucro, no dinheiro, nos bens materiais, sem tempo para Deus e para os irmãos, tudo se torna vazio, nos desumaniza e nos escraviza, pois não há riqueza no mundo que nos satisfaça verdadeiramente se nós não praticarmos obras de amor, caridade, solidariedade, misericórdia e compaixão, se não amarmos a Deus e ao próximo.

- O livro do Eclesiastes mostra que gastar a vida apenas pensando em ajuntar dinheiro, ter bens, é um dos grandes erros do ser humano, pois ao morrer, nada levamos. Se trilharmos este caminho, nossa vida não passará de vaidade, fugacidade, banalidades, pois em nada contribui para a sua edificação e a edificação da vida dos outros. A nossa vida, por mais longa que possa parecer, é “qual vigília de uma noite que passou, pois mil anos para Deus é como ontem” (Sl  90,4). Se a vida é tão curta, tão passageira, porque nos desgastamos com coisas fúteis? Se a vida é tão veloz, devemos aproveitar o tempo com coisas boas, que promovem a vida. O salmo pede que Deus nos ensine a contar nossos dias, isto é, que saibamos que nossos dias estão contados, e que, por isso, deveríamos viver como se fosse o último, perdoando, partilhando, enfim, fazendo o bem, buscando sempre as coisas do alto, como nos recomenda São Paulo,, aspirando as coisas celestes, mais que as terrestres. Ele nos faz um forte apelo à conversão. Fazer morrer essas atitudes, esses procedimentos gananciosos, a imoralidade, as impurezas, a paixão cega, os maus desejos, a cobiça que é idolatria. São coisas que tornam o ser humano insensível e o afastam do caminho de Deus.

- O evangelho nos apresenta uma briga por causa de herança. Essa situação não nos é estranha. São muitos os irmãos que se tornam verdadeiros inimigos por causa de herança. Jesus faz uma forte advertência: “A vida de um homem não consiste na abundância de bens”. “Atenção! Tomai cuidado contra todo tipo de ganância”. Pessoas gananciosas não se importam com os outros. Elas fazem trapaças e prejudicam o próximo para obter vantagens, para ganham, não se importando se o outro precisa mais. Ou sem ter em conta a caridade cristã, o amor ao próximo. Para ilustrar isso, Jesus conta a parábola da abundante colheita do homem rico. A preocupação do homem era onde guardar a colheita. Jamais cogitou a possibilidade de dividir, partilhar, deixar que seus funcionários participassem nos lucros da terra, da sua empresa. Ele pensou apenas nele. Mas Deus o chama de louco, porque não sabia que iria morrer nesta noite. Voltaria para o pó como qualquer outra pessoa, com a diferença de que diante de Deus, era a pessoa mais pobre, mais miserável, porque sua vida consistia nos seus bens. “Assim acontece com quem ajunta tesouros para si mesmo, mas não é rico diante de Deus”. Pensemos bem nas preciosas e vitais mensagens das leituras deste dia.

PRECES DA COMUNIDADE

Animador: Apresentemos a Deus, com humildade e sinceridade, nossos pedidos rezando: Senhor, escutai nossa prece!

  1. Abençoai o Papa, os Bispos e os Sacerdotes, neste dia dedicado a vocação sacerdotal, para que sejam abençoados e felizes, rezemos.
  2. Ajudai-nos a vencer a idolatria do dinheiro e fazei que ele seja usado para o bem estar de todos, rezemos.
  3. Fazei com que saibamos respeitar e cuidar da natureza, obra de tua criação, rezemos.
  4. Confirmai diariamente nossa vocação cristã recebida no batismo, tornando-nos solidários e fraternos, rezemos.

 

OFERTÓRIO

Animador: Nossa vida e riqueza és tu Senhor! Coloquemos, juntamente com o pão e o vinho, a alegria e o entusiasmo dos vocacionados que se despojaram das coisas passageiras, assumindo uma vocação de serviço e doação. Cantemos.

 

COMUNHÃO

Animador: Que o Pão Eucarístico, a verdadeira riqueza que vem do alto, renove e alimente nosso corpo e nosso espírito. Cantemos.

 

Equipe de elaboração: Adélia Fontana, Ana Maria Poletto de Oliveira, Daiane Gaiardo, Geni Onzi Isoppo, Ofélia Quissini e Frei Carlos Raimundo Rockenbach.

 

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio Alvorada

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais