Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
09:00:00
Temática
12:00:00
 
 

Cookies e Política de Privacidade
A Tua Rádio utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Troca de datas do pleito de 2020 impõe mudanças no calendário eleitoral

Baixar Áudio por Camila Agostini

Chefe do Cartório Eleitoral de Marau recomenda que eleitores baixem o aplicativo e-título

Foto: facebook.com/tuaradioalvorada

O primeiro turno das eleições municipais, antes previsto para 04/10, será realizado no dia 15/11. A Emenda Constitucional que muda a data do pleito por causa da pandemia da Covid-19 foi promulgada na quinta-feira, 02/07. Como se trata de uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC), não há a necessidade de sanção do presidente da República.

As mudanças impuseram alterações de datas móveis do calendário eleitoral. O período da propaganda eleitoral, por exemplo, começa no dia 27/09, inclusive na internet. Mas o que muda está ligado mais diretamente aos candidatos que aos eleitores, com explicou, em entrevista à Tua Rádio Alvorada, cartório eleitoral de Marau, Rafael Copetti. Ouça no player de áudio ou clique neste link para acompanhar a entrevista com imagens. “Não reabriu e nem há a possibilidade de se retomar a transferência de domicílio eleitoral ou troca do local de votação para eleitores. O cadastro eleitoral e regularização de título encerrou no mês de maio”, destaca Copetti.

Aos partidos e candidatos é necessário observar mudanças como nas datas do período destinado às convenções que agora se estende de 31/08 a 16/09.  É nas convenções que ocorre a escolha dos candidatos pelos partidos e deliberação sobre coligações. Já os registros das candidaturas que aconteceria em meados de agosto, foi postergado até 26/09. O início da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão relativa ao primeiro turno inicia no dia 09/10.

Por conta da pandemia do novo coronavírus, as questões sanitárias motivam decisões que ainda precisam ser definidas pelo Tribunal Superior Eleitoral. Segundo Copetti, o uso da biometria é uma delas. A retirada da identificação biométrica ainda requer avaliação do TSE, que  mantém diálogos regulares com infectologistas, epidemiologistas, biólogos e físicos para orientar o posicionamento da Justiça Eleitoral para preservar a saúde da população no momento e após a votação de novembro.

A recomendação, segundo Copetti, é para que o eleitor baixe o e-título. O aplicativo permite o acesso às informações do eleitor o que, diz Copetti, pode facilitar a votação. O app pode ser baixado para smartphone ou tablet, nas plataformas IOS ou Android.

Em novembro próximo, serão eleitos prefeitos e vereadores das 5.570 cidades brasileiras. A posse dos eleitos foi mantida e acontece no dia 1º/01/21.

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio Alvorada

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais