Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
14:00:00
Em Alta
18:00:00
 
 

Radar das Eleições: Saída de Jair Bolsonaro muda quadro eleitoral para o PSL

Baixar Áudio por Rodrigo Fischer

No último episódio: partido deve se desmanchar em Caxias do Sul por causa da decisão do presidente

Foto: Adriano Machado/REUTERS

A série de reportagens “Radar das Eleições” chega a sua última legenda. A 15ª sigla entrevistada é o Partido Social Liberal (PSL), que pode se desmontar em Caxias do Sul e deixar de participar das eleições municipais de 2020 por uma decisão, a do presidente Jair Bolsonaro. Isso porque ele optou sair do partido ainda neste mês por desentendimentos com o líder nacional do PSL, Luciano Bivar.

A possibilidade de desmanche é corroborada pelo presidente da sigla em Caxias do Sul, Renato Toigo. “Nós estamos no PSL por causa de [Jair] Bolsonaro. Se ele [Jair] estiver em outro partido, vamos estar com ele. A ideia é de que somos PSL pelo presidente Bolsonaro, então, se ele sair, não tem mais significado, ao menos para mim, estar no partido.”

Na cidade, a legenda trabalhava com aproximadamente 15 pré-candidaturas à Câmara de Vereadores, contando com nomes que disputaram a Assembleia Legislativa pelo PSL.  Ao Executivo, o partido atuava com quatro nomes a prefeito, vindos do ramo político e empresarial. Até a montagem do plano de governo estava em andamento. Com a saída de Bolsonaro, as movimentações mudaram. Toigo ressalta que a decisão do presidente afetou principalmente as candidaturas para o paço municipal.

“Estamos com um pouco de dificuldade nas articulações para nomes a prefeito ou vice-prefeito, pois os candidatos que temos também estão indecisos por causa da saída de Bolsonaro. Acredito que os candidatos estão alinhados com o presidente [Jair Bolsonaro], só estão esperando uma definição desse novo partido [Aliança pelo Brasil] para verificar se efetivamente vão se colocar a disposição.”

Candidatos para vereador a perigo

Os postulantes ao Legislativo também devem seguir Jair Bolsonaro. A dúvida que fica é se o partido criado pelo presidente, o Aliança pelo Brasil, vai conseguir se constituir até abril do ano que vem, quando finaliza o prazo para as inscrições ao pleito eleitoral. Por isso, Toigo explica aos candidatos o risco que correm de ficar fora das eleições municipais.

“A nominata de vereadores diz que seguirá para o partido de Jair Bolsonaro. Temos alertado os candidatos do perigo de ficarem sem legenda para concorrerem. A ideia de [Jair] Bolsonaro é que a sigla fique pronta até março. Caso não fique, as pessoas que saírem do PSL vão ficar sem partido.”

A saída do líder municipal do PSL e de outros membros depende da Convenção Nacional do Aliança pelo Brasil, que deve gerar a Executiva do partido. As diretrizes tomadas pelo presidente Jair Bolsonaro devem traçar os rumos do PSL na cidade.

Este foi o último partido do quadro “Radar das Eleições”. Entre os meses de outubro e novembro deste ano foram entrevistados 15 partidos de Caxias do Sul para falar sobre as ações ao pleito eleitoral de 2020. A reportagem ouviu siglas de diversos espectros ideológicos a fim de fornecer um panorama geral para o ano que vem.

(Ouça as entrevistas no "Ouvir notícia" abaixo da manchete).

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais