Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
14:00:00
Notícias da Hora
14:05:00
 
 

Prefeitura de Caxias do Sul obtém vitória judicial contra o Sindicato dos Médicos

por Pablo Ribeiro

TJ-RS declarou que a entidade representante dos médicos é exclusivamente o Sindiserv

Prefeito Daniel Guerra e o presidente do Sindicato dos Médicos, Marlonei dos Santos
Foto: Petter Campagna Kunrath (Prefeito) e FENAN (Marlonei)

As ações da Procuradoria-Geral do Município (PGM) da Prefeitura de Caxias do Sul relacionadas à greve dos servidores médicos foram acolhidas parcialmente pela 3ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS). O julgamento favorável ao Município ocorreu nesta quinta-feira (23/11), em Porto Alegre. A ação da PGM visava declarar ilegal e abusivo o movimento deflagrado pelo Sindicato dos Médicos de Caxias do Sul neste ano.

Os desembargadores do TJ-RS ressaltaram a ausência de representatividade do Sindicato dos Médicos e entenderam que a entidade que representa esses profissionais é exclusivamente o Sindicato dos Servidores Municipais de Caxias do Sul (Sindiserv).

Em um dos processos, a desembargadora e relatora, Matilde Chabar Maia, reforçou a decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) acerca do papel do Sindiserv. “A fundamentação da decisão do TRT deixa bastante clara a restrição feita à representatividade sindical dos servidores médicos municipais”, afirma Matilde. O desembargador Leonel Pires Ohlweiler, relator do segundo processo, também entendeu pela ilegalidade e abusividade da greve pelo Sindicato dos Médicos. “No final das contas, quem é prejudicado é o cidadão que, muitas vezes, não tem a prestação do serviço”, concluiu Leonel.

A decisão do TJ-RS dá respaldo ao Município de Caxias do Sul para processar administrativamente e efetuar sanções disciplinares, previstas no Estatuto do Servidor, aos médicos que deixaram de cumprir a carga horária. Esses profissionais já estão respondendo por processos na Corregedoria-Geral do Município e, entre as penas aplicáveis, está a demissão do funcionário. “A resposta do Tribunal de Justiça é uma vitória para o nosso governo e comprova que estamos fazendo o que é certo, priorizando pela legalidade em nossas ações”, ressaltou o prefeito Daniel Guerra.

Ambos os envolvidos podem recorrer da decisão no Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília.

 

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio São Francisco

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais