Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
12:10:00
No Ponto
14:00:00
 
 

Setembro Verde: negativa familiar é um dos principais fatores que impossibilita a doação de órgãos

por Isadora Helena Martins

Para mudar o cenário, a campanha Setembro Verde busca conscientizar sobre a necessidade de comunicar aos familiares o desejo de ser doador

Foto: Divulgação

A doação de órgãos é um assunto que tem ganhado cada vez mais destaque no âmbito social, mas infelizmente o debate não tem chegado dentro das famílias. Por isso, durante todo este mês, a campanha Setembro Verde busca conscientizar a população sobre a necessidade de conversar e deixar claro às pessoas próximas o desejo de ser doador, pois, a negativa familiar ainda é um dos principais fatores que impossibilita o procedimento, como explica o presidente da Associação de Pacientes Renais Crônicos (RimViver), Evandro Neckel: “O que falta é comunicação entre as famílias porque as pessoas ficam indecisas quando ocorre a abordagem quando há morte encefálica do paciente. As famílias não conversam sobre esse assunto, então, esse é o objetivo da campanha Setembro Verde: conscientizar sobre a importância de falar da doação de órgãos”.

Ele também ressalta que hoje, no Brasil, para ser doador basta apenas comunicar o desejo à família, não há nenhum tipo de documento formal para o procedimento. Mas, segundo Neckel a desinformação é outra barreira que surge quando o assunto é doação de órgãos. “A principal dificuldade é a aceitação e a sensibilização das pessoas para serem doadoras. Elas não sabem o que é ser um doador e quantas pessoas se salva com a doação de órgãos. Há muitos tabus a serem quebrados”.

Segundo dados da Central de Transplantes do Rio Grande do Sul, o estado registrou 141 doadores efetivos de janeiro a julho deste ano, porém este número poderia ser maior, pois, a taxa de recusa das famílias chegou a 40%. A instituição também divulgou a lista de espera por órgãos e tecidos que já soma mais de 1,4 mil pessoas. Destas, 1.001 necessitam de um transplante de rim. Somente em Caxias do Sul, conforme dados da RimViver, são cerca de 500 pessoas que fazem hemodiálise e que aguardam por um transplante de rim para ter melhor qualidade de vida, ou até mesmo para viver por mais tempo.

Por isso, para aumentar os índices de doação, a partir desta segunda-feira (23) até sexta (28) serão realizadas em Caxias diversas atividades referentes à Semana Nacional de Doação de Órgãos e Tecidos. Na terça-feira (24), a RimViver, com apoio de acadêmicos de Enfermagem, vai estar na Praça das Feiras, das 14h às 16h30, para uma intervenção junto à comunidade. Haverá verificação de pressão arterial, orientações sobre o tema, distribuição de material informativo e mateada.

Durante a semana, também vão ocorrer palestras e distribuição de materiais informativos nos hospitais, escolas e espaços públicos do município. As atividades encerram na sexta-feira (28) com uma missa de agradecimento às famílias dos doadores e com os transplantados. A celebração vai ocorrer na Capela do Hospital Pompéia a partir das 16 horas.

Mas, Nickel reforça que as atividades não se limitam somente a esta semana. “Esse é um projeto da RimViver junto ao Comitê de Doação de Órgãos, de fazer palestras nas escolas e empresas sobre o tema.  Então qualquer dúvida quanto a doação de órgãos é só entrar em contato que estamos à disposição”.  

Quem quiser saber mais sobre a doação de órgãos pode procurar a RimViver, pelo telefone (54) 3214.1707.

Ouça AQUI.

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio São Francisco

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais