Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
07:00:00
Conectado
09:00:00
 
 

Em Caxias, secretário estadual de Parcerias defende concessão do Hugo Cantergiani e diz que aeroporto de Vila Oliva é para longo prazo

por Isadora Helena Martins

Bruno Vanuzzi também falou que o governo estadual deve lançar editais de concessão das rodovias no ano que vem

Foto: Isadora Martins

O secretário extraordinário de Parcerias do Rio Grande do Sul, Bruno Vanuzzi, voltou a defender as parcerias público-privadas (PPP’s) e as concessões como forma de alavancar os investimentos na infraestrutura e serviços do Estado. Durante a reinião-almoço na Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) de Caxias do Sul, nesta segunda-feira (07), ele retomou a situação financeira do RS, que está incapaz de fazer investimentos para manter alguns equipamentos públicos e comentou sobre o esforço do governo para conceder à iniciativa privada estradas estaduais, parques, aeroportos, unidades prisionais e outros serviços.

Na ocasião, Vanuzzi também falou que o governo está estudando projetos de concessão de aeroportos como o Hungo Cantergiani e mencionou que a construção do aeroporto de Vila Oliva é para longo prazo. “O Hugo Cantergiani é um aeroporto que já esxiste, que precisa ser qualificado para que possa ter uma capacidade operacional melhorada, e pra que seja mais confiável em termos de equipamento para aproximação. Enquanto isso, vamos trabalhando no [aeroporto de] Vila Oliva, que é um projeto que demora mais tempo”.

Assim como o governor Eduardo Leite mencionou na última semana, durante sua passagem por Caxias, de que é preciso investir no porto de Rio Grande para melhorar a capacidade operacional ao invés de destinar recursos para a construção de um novo porto no Litoral Norte, Vanuzzi defendeu a mesma ideia. “Esse é um projeto de futuro, um projeto de investimento para longo prazo. E ainda temos uma capacidade ociosa no porto de Rio Grande. Temos ainda uma dificuldade logística de acesso da região da Serra até Rio Grande. Por isso, temos que dividir por partes o nosso problema: hoje precisamos garantir um acesso até Rio Grande e planejarmos o que acontecerá quando Rio Grande se esgotar. Então, à longo parece sim fazer sentido”.

Sobre a concessão de rodovias gaúchas, como a ERS-122, o secretário afirmou que o governo está trabalhando nos projetos, mas não deu prazos precisos. Questionado sobre a possível volta do pedágio entre Caxias e Farroupilha ele respondeu: “Temos uma região que ficou conurbada. Hoje, praticamente, Caxias – Farroupilha é como se fosse uma única cidade. Então, não é aconselhável nós termos um pedágio ali. Mas, isso ainda é muito prematuro para falar como vai ser a estruturação. O que eu adianto é que é realmente muito difícil nós termos dentro de uma região conurbada um pedágio”.

Ainda segundo Vanuzzi, as licitações para concessão tanto de rodovias, quanto dos aeroportos devem ser lançados pelo governo no ano que vem. “Temos uma intenção de encurtar esses prazos, mas hoje, o cronograma oficial é segundo semestre de 2020 a concessão dessas rodovias. Temos a RSC-287 e a ERS-324 que essas sim serão mais recentes porque são projetos que começaram ainda no governo anterior e estamos trabalhando para colocar os editais na rua o quanto antes. Para os aeroportos o cronograma segue o mesmo: segundo semestre do ano que vem”.   

Ouça AQUI.

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio São Francisco

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais