Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
00:00:00
Igreja no Rádio
05:00:00
 
 

Secretária de Saúde pede as pessoas que compareçam nas consultas agendadas nas UBS

Baixar Áudio por Aldoir Santos

Uma comissão avalia a cada três meses o atendimento na urgência do HNSO

Secretária pede a população que ao agendarem as consultas compareçam nas unidades
Foto: RD Fátima

Diariamente são oferecidas 14 consultas nas Unidades Básicas de Saúde. Boa parte dos atendimentos é agendada antecipadamente pelos pacientes. Os casos de urgência são avaliados pelos enfermeiros e o médico da Unidade e encaminhados para a UPA. Levantamento da secretaria revelou que mais de 700 pessoas que haviam agendado consultas, não compareceram inclusive para especialidades como pediatria e ginecologia. Este é um dos fatores que leva a superlotação dos serviços de emergência que são oferecidos na UPA e no hospital Nossa Senhora da Oliveira. Isto provoca um atraso nos atendimentos e que tem levado a muitas reclamações. A secretária de Saúde Clarice Brustolin destaca que o agendamento deverá prosseguir porém os moradores terão que consciência de comparecem na Unidade no dia e horários marcados das consultas.

Um comitê formado por representantes dos serviços de saúde vem avaliando e propondo medidas para melhorar o atendimento em geral. A secretária informou ainda que os pacientes do interior do município estão sendo atendidos no Centro de Especialidades ao lado da UPA. Diariamente são também disponibilizadas 14 consultas. De acordo com Clarice Brustolin está se buscando a contratação de um médico que irá atender nas salas avançadas no interior. Até final do mês essa situação deverá ser resolvida projeta a secretária.

Nos próximos meses a administração deverá realizar concurso público. Uma das demandas para a área de saúde será a contratação de psicólogos.

Sobre as últimas reclamações sobre o atendimento especialmente no plantão de urgência e emergência do hospital a secretária de Saúde de vacaria afirmou que existe uma comissão que avalia quantativa e qualitativamente o serviço a cada três meses. Clarice Brustolin destaca que essa atividade está prevista no contrato firmado entre os municípios e o hospital. Acrescenta que fazem parte da comissão representantes de todos os envolvidos no serviço. Descarta a possibilidade de colocar alguém da prefeitura lá dentro do hospital para auxiliar na gestão do setor de emergência. Destaca que se estuda a possibilidade de contratação de mais um médico para auxiliar nos casos de emergência. Ela alerta que menos de 10% dos pacientes que procuram atendimento de urgência poderiam ser atendidos nas Unidades Básicas.

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio Fátima

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais