Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
14:00:00
Programa de Domingo
19:00:00
 
 

Setor debate em seminário a implementação de novas variedades de maçã no Brasil

Baixar Áudio por Aldoir Santos

A produção brasileira da fruta gira em torno de duas variedades que são a Gala e a Fuji

Marcus Kvitschal é um dos pesquisadores de novas variedades de maçã da Epagri (SC) (Foto: RD Fátima)
Foto: Divulgação

A produção de maçãs no Brasil se dá basicamente em torno de duas variedades que são as que tem melhor resposta comercial. Gala e Fuji dominam o gosto dos consumidores e o setor tem dificuldades em inserir novas cultivares embora os programas de melhoramento desenvolvidos no País apresentem alternativas. Este é um dos principais temas apresentados durante o IV Seminário Internacional de Fruticultura que ocorre na Casa do Povo em Vacaria. No painel sobre esse assunto foram apresentadas experiências que vem sendo realizadas na Itália e na França além do Brasil. O pesquisador da Epagri Marcus Kvitschal observa que a pergunta que vem sendo feita é até quando o setor irá sobreviver cultivando apenas duas variedades. Ele acrescenta que o programa de melhoramento da Epagri tem mais de 40 anos e já desenvolveu materiais importantes mas que esbarram na dificuldade de comercialização. Esse ano deverá sair edital de licenciamento de viveiristas de quatro variedades e até o ano que vem serão disponibilizadas mudas para os produtores.

O instrutor de frutas, legumes e verduras da Associação Gaúcha de Supermercados, Agas, Evandro Ribeiro observa que entre os avanços que deve ocorrer na cadeia produtiva da maçã, especificamente, é uma união maior do setor para buscar alternativas para oferecer ao mercado um produto diferenciado. Procurar ofertar produtos a base de maçã que sejam embalados de maneira diferente, processados de forma a atender a demanda do consumidor.

Na Itália, o pesquisador Walter Guerra ressalta que existe a possibilidade de diversificação de novas cultivares de maçã como ás que possuem polpa roxa, às que sejam mais resistentes a doenças, menos suscetíveis a calor, entre outros aspectos. Na Itália existe umas 20 variedades que poderiam ser adaptadas a produção brasileira. Guerra pensa que é fundamental o Brasil evoluir neste aspecto. A variedade Golden Delicious é a mais consumida na Itália. A programação do Seminário Internacional de Fruticultura termina nesta quinta-feira com um painel sobre estratégias de manejo de pragas em fruteiras de clima temperado.

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio Fátima

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais