Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
07:00:00
Conectado
09:00:00
 
 

Secretário interino de sete pastas, João Uez quer reavaliar Financiarte e dialogar com família Magnabosco

por Pablo Ribeiro

Além de estar à frente da Chefia de Gabinete, Uez é titular das secretarias de Governo, Fazenda, Receita Municipal, Agricultura, Cultura e Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Emprego

Foto: Montagem sobre a foto de Ícaro de Campos/Prefeitura de Caxias do Sul/Divulgação

Responsável por sete pastas no governo do prefeito interino de Caxias do Sul, Flávio Cassina (PTB), João Uez é o nome que mais acumula secretarias, neste primeiro momento, interinamente. Além de estar à frente da Chefia de Gabinete, ele é titular das secretarias de Governo, Fazenda, Receita Municipal, Agricultura, Cultura e Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Emprego. Uez responde por estas secretarias até a eleição indireta, que irá definir o novo chefe do Executivo caxiense, ainda sem data definida.

Uma das pastas que mais gerou polêmica no governo do prefeito cassado, Daniel Guerra (Republicanos), foi a da Cultura. Uez, que já atuou em secretarias dos governos de José Ivo Sartori (MDB) e Alceu Barbosa Velho (PDT), pretende reestabelecer o diálogo com servidores e com a comunidade. Sobre o Financiamento da Arte e Cultura Caxiense (Financiarte), o secretário destaca que a previsão orçamentária é de cerca de R$ 105 mil, porém pretende estudar um reajuste. “Já pedi para o pessoal da secretaria fazer estudos junto com a Secretaria de Gestão e Finanças para ver qual a possibilidade de ampliarmos o máximo possível este valor do Financiarte”, comenta.

Outras pastas importantes no processo de transição do governo são as da Receita Municipal e Fazenda, agora sob responsabilidade de Uez. Em meio ao processo da família Magnabosco, cuja prefeitura foi condenada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) a pagar o valor de R$ 820 milhões, o secretário afirma que pretende conversar com os advogados da família para chegar a um acordo de parcelamento do pagamento da dívida. “É um caso que preocupa muito o prefeito. É um valor que corresponde a 40% do orçamento do município no exercício de 2020. Começaremos a abrir diálogo junto à família Magnabosco e com o advogado Durval Balen, para minimizar o máximo possível essa situação de fazer a retirada de todo esse valor das contas do município”.

Como Chefe de Gabinete, Uez destacou ainda que a articulação política do Governo fica a cargo do prefeito interino Flávio Cassina. No momento, o trabalho se caracteriza na busca de informações das secretarias para saber a situação atual dos projetos em andamento.

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais