Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
14:00:00
Programa de Domingo
19:00:00
 
 

Centrais de armazenamento da Codeca recebem materiais especiais para descarte adequado

por Caroline Rosa

Local recebe dejetos como lâmpadas e pneus, que podem causar grandes danos ao meio ambiente

Foto: Márcia Vial

Materiais especiais, como lâmpadas fluorescentes e pneus, não fazem parte da coleta comum de resíduos orgânicos e seletivos. Por isso, a Companhia de Desenvolvimento de Caxias do Sul (Codeca) recolhe esses produtos pela Central de Armazenamento de Pneus Inservíveis (Capi) e pela Central de Armazenamento de Lâmpadas Usadas (Calu). De janeiro a maio de 2018, foram recebidos 3.656 pneus, uma diminuição de 9,29% em relação ao mesmo período de 2017. Já as lâmpadas fluorescentes e de vapor de mercúrio chegaram a 17.028 unidades, equivalendo a um aumento de 51,52% sobre os primeiros cinco meses do ano passado.

Ambos os serviços funcionam junto à sede da Companhia, com licença de operação emitida pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luiz Roessler (Fepam). As centrais oferecem suporte no descarte de materiais especiais, que atendem ao sistema de logística reversa, definido pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (lei 12.305/2010). Essa legislação determina que materiais como lâmpadas e pneus devem ser devolvidos aos locais de compra, uma vez que é de responsabilidade dos revendedores e da rede autorizada dispor de assistência técnica para recebimento e envio dessas unidades aos fabricantes e importadores para armazenagem, tratamento e destino final.

A Calu atende de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 11h e das 13h30 às 16h30, a partir do pagamento de uma taxa de estoque, tanto para empresas (mediante contrato de serviços) quanto à população em geral. A Codeca encaminha as lâmpadas, após embaladas com cuidados especiais, para descontaminação e reciclagem. Grandes redes de supermercados também costumam disponibilizar tonéis para recebimento de forma gratuita.

A Capi recolhe os pneus por meio de taxas de pagamento por unidades. A parceria com a Associação Nacional das Indústrias de Pneumáticos (Anip) permite que esses materiais sejam destinados à moagem e reciclagem, sendo transformados em outros produtos, como, por exemplo, asfalto ou matéria-prima para confecção de energia em cimenteiras. O Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) proíbe a destinação final inadequada de pneumáticos inservíveis, como em aterros sanitários, mar, rios, lagos ou riachos, terrenos baldios ou queima a céu aberto. Já as oficinas e revendedores do produto devem recebê-los de volta, sem custos para o consumidor.

 

Pilhas e baterias

Outros integrantes do sistema de logística reversa são as pilhas e as baterias, que devem ser separadas dos demais itens para descarte. Ambas são consideradas lixo tóxico, devido à constituição de substâncias nocivas, como: mercúrio, cádmio e chumbo. Há pontos de recolhimento de pilhas em grandes mercados do município, que realizam a destinação correta. As baterias pós-consumo devem ser entregues nos locais de compra.

Mais informações sobre a Central de Armazenamento de Pneus Inservíveis (Capi) e a Central de Armazenamento de Lâmpadas Usadas (Calu), bem como as tabelas de preços para estoque, podem ser conferidas no site da Codeca (www.codeca.com.br), no menu Recolhimento de Pneus e Lâmpadas.

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais