Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
14:00:00
Em Alta
18:00:00
 
 

Professores encerram greve e aulas começam a ser recuperadas na rede estadual de ensino

Baixar Áudio por Isadora Helena Martins

A orientação da Secretaria Estadual de Educação é que as aulas sejam retomadas ainda nesta semana

Foto: Divulgação / CPERS

A greve dos professores estaduais do Rio Grande do Sul foi encerrada nesta terça-feira (14) após uma Assembleia Geral do Cpers-Sindicato. Por maioria, os servidores optaram por retomar as aulas e recuperar os dias letivos de 2019, que totalizaram 57 dias de paralisação. Porém conforme explica o diretor do 1º núcleo do Cpers Sindicato, com sede em Caxias do Sul, David Carnizella, não houve um acordo entre o sindicato e o governo, por isso os professores vão fazer a recuperação das aulas: para resguardar seus salários e concluir o compromisso com a comunidade escolar. “O governo apresentou o acordo que previa o desconto desses valores. Então o primeiro ponto da assembleia foi não fazer o acordo com o governo. Mas, o segundo ponto que passou na assembleia foi fazer a suspensão da greve, porque a gente acredita que a gente tem que recuperar essas aulas para recuperar esses valores na justiça. E foi uma greve que atingiu muitas comunidades, muitas nos apoiaram e agora a gente tem que retribuir esse apoio”.    

Carnizalla também destaca que a greve foi importante para impedir a votação do pacote proposto pelo governador Eduardo Leite, que altera o plano de carreira do magistério, e que ia ser votado em regime de urgência ainda no ano passado: “A greve foi importante para que a população pautasse esse tema junto ao governo, para que esse pacote não fosse votado. Agora, em janeiro, a gente vai ter mais um desafio que é a chamada extraordinária do governo que vai tentar aprovar esse pacote. A gente vai estar lá, em frente à Assembleia Legislativa para tentar combater esse pacote”.

 

Recuperação das aulas

Agora, conforme determinação da Secretaria da Educação (Seduc), as aulas devem ser recuperadas por todas as escolas que não concluíram os 200 dias letivos. A recomendação foi de que a recuperação iniciasse ainda nesta quarta-feira, dia 15de janeiro até o dia 27 de fevereiro. Mas, como explica a chefe do setor pedagógico da 4ª CRE, Stela Mari Paim Lemos Costa, devido a realidade de cada escola essas datas podem alterar: “A gente já vinha fazendo as tratativas com as escolas que estavam voltando, então, a gente tem um processo de homologação do calendário desses dias letivos ou horas aulas para que elas possam estar cumprindo o fechamento do ano letivo. A orientação da Seduc era de que a recuperação iniciasse ainda hoje, mas como a gente entendeu que as escolas não teriam tempo hábil para chamar os alunos ainda hoje, então elas estão se organizando e a gente está pedindo para que iniciem a recuperação amanhã”.

Stela também explica que ainda não é possível definir a data de início do ano letivo de 2020 porque o calendário de 2019 ainda esta em abeto: “Nas situações das escolas que são parciais vai depender de quantas horas/aula precisa recuperar. Pra fazer o levantamento do início do ano letivo para essas escolas a gente precisa do calendário de recuperação das aulas, pra poder prever o período de 30 dias de férias dos professores e o início do ano letivo de 2020. Para as que estavam em greve total a gente tem a previsão de depois do dia 15 de março o início do ano letivo de 2020”.    

De acordo com o último levantamento da 4ª CRE, realizado na semana passada, 12 escolas da região ainda precisam recuperar as aulas, sendo que algumas delas já iniciaram o processo. Dessas 12, duas escolas localizadas em São Francisco de Paula, ficaram em paralisação total até o encerramento da greve, as outras 10 tiveram a suspenção das atividades de forma parcial. De qualquer forma, as instituições de ensino que ainda não iniciaram a recuperação devem inicia-la nesta quinta-feira (16) e prestar suporte para aqueles alunos que estão viajando.

Stela também salienta que os alunos concluintes do 9º ano do Ensino Fundamental e do 3º ano do ensino médio têm vagas garantidas nas respectivas instituições de ensino que devem cursar em 2020, mesmo sem o certificado de conclusão, que será emitido somente após o término do ano letivo de 2019.

Ouça a matéria no link acima da foto. 

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio

Enviar Correção

Comentários