Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
20:00:00
Tua Essência
23:59:00
 
 

Coagrisol participa de café da manhã com o secretário estadual de agricultura

por Ana Lúcia Jacomini

Diversos assuntos foram tratados na ocasião

Evento aconteceu em Porto Alegre (Divulgação/Coagrisol)
Foto: Divulgação

O presidente da Coagrisol José Luiz Leite dos Santos, representou a cooperativa nesta semana, em um café da manhã que teve como convidado o titula da Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Covatti Filho. O encontro aconteceu na sede da Escoop, em Porto Alegre, e teve como pauta o projeto de assistência técnica e extensão rural, o crédito fiscal presumido e o acordo comercial entre o Mercosul e a União Europeia, especialmente os seus reflexos para as cooperativas de leite e de vinhos. José Luiz Leite, acompanhado de presidentes de outras cooperativas, debateu com  Covatti Filho a necessidade de políticas públicas para tornar as cooperativas dos setores de leite e vinho  ainda mais competitivas, para que o produtor não tenha que abandonar suas atividades.

Também na ocasião, o presidente do Sistema Ocergs-Sescoop/RS, Vergilio Perius, lembrou que o projeto de Assistência Técnica e Extensão foi apresentado ao então candidato a governador, Eduardo Leite e consta na plataforma de proposições do sistema cooperativo gaúcho nas eleições do ano passado. O projeto proposto pela Ocergs visa que sejam gerados créditos fiscais presumidos para o ressarcimento de investimentos feitos pelas cooperativas agropecuárias em assistência técnica. O projeto busca uma maior eficiência do setor privado na gestão de recursos e sintonizado à importância em levar a Ater para todos os produtores, de modo a mantê-los no campo. A ideia estimula a execução de serviços privados de Ater, por meio de incentivos financeiros na forma de concessão de créditos fiscais presumidos, dedutíveis do montante de ICMS gerado.

Em relação ao acordo comercial entre Mercosul e União Europeia, o secretário reconheceu que as cadeias do leite e vinho são as mais impactadas negativamente pelo acordo. “Temos que analisar criteriosamente tudo isso. Não podemos perder mais ninguém dessas atividades econômicas de importantes cadeias do agronegócio gaúcho. No vinho, já fizemos a substituição tributária. O leite tem uma questão social, é a renda diária do produtor. Não podemos aceitar que esses produtores deixem a atividade. Estamos analisando meios de incentivarmos os produtores de leite gaúchos”, observou Covatti Filho.

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais