Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
14:00:00
Em Alta
18:00:00
 
 

Secretária da Saúde confirma abertura de credenciamento para a gestão das UPAs de Caxias do Sul

por Pablo Ribeiro

Em depoimento à CPI do Legislativo, nesta sexta-feira (10/11), Daniele Meneguzzi também admitiu que ainda não há definição sobre o atendimento materno-infantil

Foto: Prefeitura de Caxias do Sul/Divulgação

A abertura de credenciamento de entidades interessadas na gestão das unidades de pronto atendimento (UPAs) Central e da Zona Norte, em Caxias do Sul, foi comunicada aos vereadores, pela secretária municipal da Saúde, Daniele Meneguzzi, durante depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde, nesta sexta-feira (10/11).

A secretária informou que o edital, lançado na quinta-feira (09/11), pretende registrar possíveis instituições que venham a gerenciar as UPAs. Segundo Daniele, o cadastro terá validade por um ano. Mesmo assim, em paralelo, estão sendo renovados os contratos vigentes, cujos encerramentos serão no dia 31 de dezembro.

De acordo com a secretária, se não houver tempo hábil para colocar novas gestoras nas unidades até o final do ano, a renovação contratual, mesmo que temporária, garantirá a manutenção dos serviços. Atualmente, a UPA Central encontra-se licitada para o Instituto Nacional de Pesquisa e Gestão em Saúde (InSaúde) e a UPA da Zona Norte, conveniada com a Fundação Universidade de Caxias do Sul (FUCS), no formato de planos e metas.

Diante do fechamento da unidade materno-infantil do Hospital Pompéia, ao término de 2023, a secretária admitiu que ainda não existe definição sobre quem absorverá a demanda. Mesmo assim, sustentou que os nascimentos permanecerão em Caxias do Sul.

Daniele afirmou que esgotará as tentativas por acordo amigável que viabilize a sequência dos serviços no Pompéia, para onde, por mês, o município destina R$ 530 mil, só para a maternidade. Reconheceu que, se ocorrer a substituição por outro órgão hospitalar, a despesa mensal tenderá a subir consideravelmente.

A secretária afirmou que, ao longo do ano, vem mantendo contato com os hospitais do Círculo e Virvi Ramos. Ambos sustentaram que adaptar a própria infraestrutura para o materno-infantil requer investimentos específicos. Daniele relatou que, no caso do Virvi Ramos, o montante estimado é de R$ 2 milhões.

Em audição na CPI, no dia 30 de outubro, a superintendente do Pompéia, Lara Sales Vieira, descartou qualquer chance de rever o fim da maternidade, marcado para 31 de dezembro deste ano. Naquela oportunidade, a superintendente também afirmou que repassaria a aparelhagem da maternidade a quem assumisse a especialidade.

 

Agenda da CPI da Saúde:

13/11 (segunda-feira) – 9h – Reunião Ordinária;

13/11 (segunda-feira) – 14h – Oitiva com Ivete Borges – ex-diretora-geral da UPA Central;

14/11 (terça-feira) – 14h – Oitiva Silvana Piroli – presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Caxias do Sul (Sindiserv);

16/11 (quinta-feira) – 14h – Marlonei dos Santos – presidente do Sindicato dos Médicos de Caxias do Sul.

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio São Francisco

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais