Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
00:00:00
Igreja no Rádio
05:00:00
 
 

Prefeitura reforça combate à dengue com fiscalização em terrenos baldios e pátios abertos

por Clayton Camargo

Medida tem respaldo em decreto que declarou situação de emergência no município devido à proliferação de focos do Aedes aegypti

Foto: Rodrigo Rossi

A Prefeitura de Caxias do Sul tem fortalecido o combate à dengue por meio das visitas domiciliares de conscientização, uso de drone e atendimento a denúncias, mas ainda depende muito da conscientização coletiva. Nesta quinta-feira (04/04), agentes de combate a endemias vistoriaram terrenos baldios e pátios abertos mesmo sem a presença dos proprietários, medida que tem respaldo no decreto municipal 23.033/2024. O documento declarou situação de emergência no município em função da proliferação de focos do Aedes aegypti e enfrentamento da epidemia da doença infecciosa dengue.

As visitas desta quinta à tarde foram realizadas no bairro Reolon, em endereços que os agentes de combate às endemias haviam tentado ingressar anteriormente. Em apenas dois terrenos, eles recolheram cinco recipientes com amostras de aproximadamente 50 larvas, material que é analisado em laboratório para identificar se são do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. As larvas foram recolhidas em pequenas porções de água parada em pneus, potes, marmita e até e uma panela jogada a céu aberto.

Além de recolher as larvas e de despejar no solo a água parada, os agentes ainda emborcam e furam os recipientes que encontram, para evitar que possam voltar a acumular água e gerar novos criadouros.

O diretor técnico da Vigilância Ambiental em Saúde, Rogério Poletto, completa explicando que o melhor método de controle do Aedes aegypti é o controle mecânico dos seus criadouros, ou seja, a eliminação de recipientes ou locais que possa reter e acumular água por muito tempo. Para isso, orienta que a população recolha seu lixo seletivo e destine para a Codeca recolher, além de guardar pneus em locais cobertos, colocar telas milimétricas nos ralos, esticar lonas e plásticos para que não retenham água na superfície, não jogar lixo em terrenos baldios, guardar garrafas e outros utensílios em locais cobertos, manter piscinas com cloração, lavar semanalmente os bebedouros de animais, tirar os pratos de plantas e flores e outros. “O Decreto Municipal de Emergência, provocado pela proliferação do vetor Aedes aegypti, evidencia a necessidade de toda a população ajudar nesse controle e também dá mais tranquilidade jurídica para que os nossos agentes de campo e as equipes de fiscalização inspecionem os pátios de imóveis que estão abertos para desenvolverem as suas atividades de controle. Mas é fundamental que a população já haja preventivamente, eliminando esses criadouros, não esperando que os nossos agentes passem e notifiquem os moradores, a população tem que agir antes para conseguir eliminar a proliferação do mosquito Aedes aegypti”.

O município soma, até o momento, 23 casos de dengue autóctone (contraídos no município) e 49 de dengue importada (em que a pessoa viajou e retornou doente). Além disso, 496 focos do mosquito da dengue já foram identificados e eliminados pelos agentes. Para se ter uma ideia, entre janeiro e março foram realizadas 36 mil visitas, entre locais diversos e monitoramento de pontos estratégicos (onde há grande probabilidade de encontrar focos do mosquito, como cemitérios, floriculturas, ferros-velhos).

Outras medidas adotadas são a aquisição de 2 mil testes rápidos para detecção da dengue e finaliza projeto para contratação emergencial de médicos clínicos para atuação nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs).

 

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio São Francisco

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais