Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
07:00:00
Conectado
09:00:00
 
 

Aprovados Projetos de Lei que visam a defesa das mulheres

Baixar Áudio por Isadora Helena Martins

As propostas têm o objetivo de facilitar a inserção das mulheres no mercado de trabalho e proibir a atuação de agressores no serviço público

Foto: Divulgação / Gabriela Bento Alves

Dois Projetos de Lei, um de autoria da vereadora Tatiane Frizzo (SD) e outro da vereadora Denise Pessôa (PT), foram aprovados por unanimidade na sessão ordinária da Câmara Municipal, nesta terça-feira (19). Os projetos têm proposições diferentes, mas o mesmo foco: romper o ciclo de violência contra as mulheres.  

A matéria de Tatiane determina a priorização de acesso à educação infantil por filhos de mulheres que sofreram violência doméstica e familiar. “É necessário falar que são 5% das vagas de Educação Infantil que então seriam destinadas para filhos e filhas de mulheres que estão em situação de violência doméstica. Um dos motivos que muitas vezes faz com que as mulheres fiquem em um relacionamento agressivo é que o companheiro é provedor daquela Família. A mulher fica com os filhos e não consegue se inserir no mercado de trabalho facilmente gerando uma dependência econômica. Esse projeto também olha para a criança porque assim ela não estará em um local abusivo e agressivo, presenciando situações de violência. A partir do momento que ela está sendo cuidada observada numa Escola de Educação Infantil, essa mãe vai para o mercado de trabalho com mais segurança”, explica.      

Já a proposta da vereadora Denise veda a nomeação pela administração pública direta e indireta do Município de pessoas condenadas pela Lei Maria da Penha: “A gente pede que não seja nomeado como Cargo em Comissão, que é de livre iniciativa, nem como estagiário na Administração Pública Direta e Indireta aquelas pessoas que foram condenadas pela Lei Maria da Penha. Como que a gente atende as mulheres que sofrem violência se a gente tem agressores trabalhando nos espaços públicos? Então, é uma forma de inibir essa prática e equilibrar essa relação”.

Agora, ambas as matérias precisam da sanção do prefeito Daniel Guerra (Republicanos) para entrar em vigor.

Ouça no link acima da foto.

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio São Francisco

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais