Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
09:00:00
Temática
12:00:00
 
 

Cookies e Política de Privacidade
A Tua Rádio utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Para doutor em Direito Tributário, MP da Liberdade Econômica não trará grandes avanços econômicos

Baixar Áudio por Rodrigo Fischer

Matéria passará pelo Senado para aprovação. Texto visa desburocratizar a abertura de empresas no Brasil e o cotidiano de empreendimentos

Divulgação/ Jornal do Comércio
Foto: Divulgação

A Câmara dos Deputados aprovou, nesta semana, o texto-base da Medida Provisória (MP 881/19) da Liberdade Econômica. Conforme o Governo Federal, a intenção é reduzir a burocracia no cotidiano de empreendimentos e simplificar o processo de abertura de empresas no país. Mesmo com o texto já em vigor por se tratar de uma medida provisória, a matéria segue para a aprovação do Senado até o dia 27 de agosto a fim de não perder a validade.

Para o Doutor em Direito Tributário, Atílio Dengo, a aprovação da MP permite libertar do entrave burocrático alguns negócios, principalmente os pequenos empreendimentos. Porém, ele acredita que o determinante é que as relações de trabalho ficam fragilizadas e facilita a especulação financeira.

A medida altera diversos pontos nas Consolidações das Leis Trabalhistas (CLT), como estabelecimentos de baixo risco não necessitam mais de alvarás e vistorias de bombeiros, o trabalho aos domingos valem agora para 78 categorias, com destaque para o comércio e o turismo, além do fim do E-Social. Dengo destaca outra alteração que será importante para a abertura de empresas no Brasil, o chamado silêncio positivo. “A grande mudança positiva dessa medida provisória foi aquilo que é chamado de silêncio positivo. Por exemplo, se eu entro com um pedido de licença num órgão público, passado o prazo determinado e eu não receber uma resposta positiva ou negativa, é considerado que estou autorizado a abrir o empreendimento. Parece-me que isso era muito importante, uma vez que na estrutura do Estado Brasileiro a burocracia se perde em meses.”, detalhou.

O Governo Federal estima que a MP da Liberdade Econômica vá gerar mais de 3,7 milhões de emprego no Brasil e aumentar em 7% o Produto Interno Bruto (PIB) do país, que é o somatório de bens e serviços gerados. Esses resultados estão previstos para ocorrer em 10 anos. Conforme o Dr. Atílio Dengo, a medida provisória não apresenta grandes avanços por causa de já existir em leis esparsas as alterações e da retirada de alguns pontos da matéria que seriam essenciais para amplas mudanças. Com isso, o cenário da economia brasileira não apresentaria fortes modificações. “Sinceramente, não acredito que essa MP vai mudar significativamente  a economia do Brasil para melhor.”, colocou.

A aprovação do texto-base ocorreu na última quarta-feira (14/08), com 345 votos a favor, 76 contra e uma abstenção.

(Ouça a notícia abaixo do título da matéria).

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio São Francisco

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais