Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
07:00:00
Conectado
09:00:00
 
 

Prefeito de Vacaria afirma que só adotará medidas da bandeira vermelha com ordem judicial

Baixar Áudio por Leticia Giroto da Cunha
Foto: RD FÁTIMA

A Serra foi classificada com a bandeira vermelha, onde o risco de contágio do coronavírus é alto e as restrições são ampliadas conforme o modelo de distanciamento estabelecido pelo governo estadual. Vacaria e outros 48 municípios terão de adotar novos critérios para o enfrentamento ao coronavírus. O anúncio foi feito pelo governo do Estado no início da noite de sábado 13/06. Onde foi decretado que a partir de segunda-feira 15/06, não poderia funcionar o comércio varejista não essencial e diversos serviços.
A Administração Municipal vem tentando junto ao Governo do Estado a retirada de Vacaria da Região da Serra e propondo a criação de uma zona específica para os Campos de Cima da Serra, em virtude das expressivas diferenças existentes entre os municípios integrantes de cada uma das regiões. Em entrevista a Tua Rádio Fátima, o prefeito Amadeu Boeira, explica que em Vacaria, a bandeira laranja é a realidade no município e destaca que os cuidados e a fiscalização estão sendo realizados, preservando os empregos para que o desemprego não assombre ainda mais a vida das pessoas.

Um dos fatores que contribuíram para a troca de bandeira foi o crescimento de 173,9% nos registros de hospitalizações confirmadas para covid-19 nas últimas duas semanas na cidade de Caxias do Sul. Amadeu Boeira diz ainda que a bandeira vermelha atribuída para Caxias do Sul, prejudica demais a economia de Vacaria e dos municípios da Amucser. E afirma que somente irá acatar essa bandeira do Governo do Estado, caso seja decisão judicial. O prefeito ressalta que esse ano de 2020 está muito difícil economicamente para todos, e que o fechamento do comércio é inviável pois o município já deixou de arrecadar mais de R$7 milhões de reais e mesmo tomando diversas medidas de economia, o fechamento das contas do ano será complicado.

E ainda finaliza destacando que se o desemprego continuar aumentando na região, a queda da arrecadação será brusca no segundo semestre deste ano.

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio Fátima

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais