Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
14:00:00
Programa de Domingo
19:00:00
 
 

VIGIAR divulga alerta referente a Pluma de Cinza e chuva negra no estado do Rio Grande do Sul

por Leticia Giroto da Cunha
Foto: Divulgação

A população do Rio Grande do Sul tem observado, em sua atmosfera, as consequências das queimadas que estão ocorrendo de forma alarmante no Pantanal.

Em território brasileiro, o bioma Pantanal está localizado na região Centro-Oeste, nos estados do Mato Grosso (no sul do estado) e do Mato Grosso do Sul (no noroeste do estado).

A pluma de cinzas, proveniente das queimadas, atua não só localmente como também pode afetar regiões distantes de onde foi originada. Através do transporte a longas distâncias, aumenta as proporções do impacto sobre os indivíduos, pois para a poluição do ar não existem fronteiras definidas.

É isso que temos constatado. Nos últimos dezoito dias, em algumas regiões do nosso estado, a atmosfera esteve com coloração e aspecto diferentes.

Nos dias 11, 12 e 13 de setembro em muitas cidades gaúchas a sensação era de tempo nublado ou encoberto mesmo que os satélites não mostrassem nenhuma nuvem. Isso ocorreu devido a uma corrente de ventos a cerca de 1.500 metros de altitude, que transportou a pluma de cinzas do pantanal até o RS.

Outro fenômeno observado, no momento em que havia uma grande quantidade de cinzas sobre o estado, foi a ocorrência de chuva negra, constatada quando a água da chuva ficava acumulada em baldes ou outros objetos, pois a coloração era enegrecida.

Embora a situação possa ter causado um certo alarme, esse fenômeno ocorreu devido a precipitação do material particulado que estava em suspensão na atmosfera. Esse material proveniente da queima de biomassa do Pantanal é a “fuligem” ou carbono negro que chegou ao solo juntamente com a chuva.

Quando a chuva ocorre, ela tem o poder de “limpar” a atmosfera. Sabe-se que a qualidade do ar em uma cidade poluída melhora muito após a ocorrência de chuvas.

É importante lembrar que o Rio Grande do Sul costuma receber poluentes provenientes das queimadas, não apenas do Pantanal, mas também da região amazônica. Isso já foi comprovado e mencionado em Boletins Informativos do VIGIAR/RS, em anos anteriores.

Em virtude do exposto acima e devido a ocorrência de QUEIMADAS (https://www.cevs.rs.gov.br/boletim-informativo-do-vigiar) também em nosso estado é importante lembrar:

1º) As queimadas são um problema crescente para o planeta. A poluição devido à fumaça gerada e seus poluentes emitidos causam impactos sobre a saúde das populações expostas.

2°) Esse impacto inclui aumento da mortalidade, de admissões hospitalares, de visitas à emergência e aumento da utilização de medicamentos pelos que sofrem de doenças respiratórias e cardiovasculares, além de diminuição da função pulmonar.

3º) As pessoas podem apresentar infecções do sistema respiratório superior, asma, conjuntivite, bronquite, dor de cabeça, fadiga, irritação nos olhos e garganta, tosse, falta de ar, nariz entupido, vermelhidão e alergia na pele, bem como desordens cardiovasculares.

4º) A população atingida pelos poluentes gerados pela combustão de biomassa, via de regra, corresponde aos indivíduos com maior grau de pobreza, e com menor acesso aos serviços de saúde, o que certamente faz piorar, ainda mais, a sua qualidade de vida.

5º) As queimadas produzem Dióxido de Carbono (CO2), Monóxido de carbono (CO), Material Particulado (PM) e Dióxido de Nitrogênio (NO2), que atingem a atmosfera agravando o efeito estufa e automaticamente o aquecimento global.

6º) Os efeitos do Material Particulado variam em função da natureza química e de seus diâmetros. Quanto menor o tamanho das partículas, maior será o efeito sobre a saúde, causando maior impacto nas crianças menores de cinco anos, idosos, pneumopatas, cardiopatas e gestantes.

7º) Como medidas de proteção ambiental, recomenda-se que as pessoas não utilizem fogo como prática agrícola, não queimem resíduos, não joguem pontas de cigarro ou fósforos no meio ambiente, não soltem balões ou fogos de artifícios, não acendam fogueiras e não transportem ou manuseiem líquidos inflamáveis.

Recomendações para a população:

- Mantenha-se hidratado: tome pelo menos 2 litros de água por dia; Isso ajuda a manter as membranas respiratórias úmidas e, portanto mais protegidas;

- Evite esforço físico desnecessário, principalmente os grupos mais vulneráveis à poluição atmosférica;

- Pneumopatas e cardiopatas devem redobrar a atenção no uso de seus medicamentos de costume e seguir as recomendações médicas para que os sintomas não aumentem e a doença não se agrave;

- Portadores de asma, rinite, bronquite e enfisema devem seguir o uso de medicamentos rotineiros de controle das enfermidades para que os sintomas não aumentem;

- As pessoas que usam lentes de contato devem ficar atentas;

- Mantenha o uso constante da máscara facial ou de tecido visando a proteção contra o Coronavírus (COVID-19) e/ou um possível agravamento das síndromes gripais pela exposição aos poluentes da fumaça;

- Acompanhe as previsões meteorológicas e alertas veiculados por órgãos oficiais sobre a situação de queimadas e qualidade do ar;

- Mantenha, em fácil acesso, os telefones de emergência dos órgãos locais de resgate, atendimento médico e combate às queimadas;

- Siga as instruções dadas pelos órgãos locais de gerenciamento de emergências e combate às queimadas;

- Planeje as atividades diárias evitando os horários de maior ocorrência de fumaça no intuito de minimizar a exposição;

- Evite trabalho pesado, atividades e exercícios ao ar livre quando a qualidade do ar estiver prejudicada pela fumaça;

- Evite atividades que possam aumentar a poluição do ar dentro de casa, como o uso de fogões à lenha, lareira, churrasqueiras e prática do tabagismo; Evite o uso de aspirador de pó, uma vez que a maioria destes aparelhos são capazes de dispersar poeira fina no ar;

- Avalie a necessidade de procurar um local onde o ar seja de boa qualidade, ou deixe a área impactada pela fumaça, caso seja possível e seguro fazê-lo;

- Evite dirigir nos dias e locais em que a visibilidade estiver comprometida pela fumaça. Em caso de absoluta necessidade ligue o ar condicionado no modo de recirculação para evitar a entrada de ar contendo fumaça no interior do veículo;

- Procure evitar a utilização de aparelhos de ar condicionado. Se utilizá-los, feche a entrada de ar externo para evitar que a fumaça entre no ambiente interno. Os sistemas que têm configurações de "ar externo" e "recirculação" precisam ser definidos no modo "recirculação". Lembre-se de manter os filtros dos condicionadores de ar limpos e execute a manutenção preventiva conforme recomendações do fabricante;

- Esteja atento para a observação e acompanhamento de sintomas respiratórios ou outras ocorrências de saúde, especialmente os grupos mais vulneráveis, e busque atendimento médico o mais rápido possível;

- As pessoas com problemas cardíacos, respiratórios, imunológicos, entre outros, devem manter o seu plano de tratamento atualizado, além de dispor dos medicamentos e itens prescritos pelo profissional médico para o caso de crises agudas;

Lembre-se: As pessoas mais vulneráveis aos impactos causados pela poluição atmosférica são as crianças menores de cinco anos, os idosos, os cardiopatas, os pneumopatas e as gestantes.

Esses grupos são os mais suscetíveis a algum tipo de problema devido a presença de cinzas na atmosfera. São também os que mais sofrem nos dias em que o nível de poluição no ar aumenta, portanto devem redobrar as recomendações descritas acima.

Obs.: A equipe do VIGIAR continuará acompanhando a situação de ocorrência de pluma de cinzas no estado e divulgando notícias em seu Boletim Informativo do VIGIAR/RS, bem como informes extras para as Coordenadorias Regionais de Saúde.

 

Liane Farinon e Equipe do VIGIAR

VIGIAR/DVAS/SES-RS

 

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio Fátima

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais