Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
00:00:00
Igreja no Rádio
05:00:00
 
 

Liturgia para o 28º Domingo do Tempo Comum

por João Carlos Romanini

Roteiro de celebração para o dia de Nossa Senhora Aparecida 23 de outubro 2019

Foto: Divulgação

“Mãe Aparecida, abençoai o Brasil!”

(Preparar: um andor com a N S Aparecida)

 

ACOLHIDA

Animador: Irmãos e irmãs, sejam todos bem-vindos! A liturgia de hoje nos faz refletir sobre a fidelidade do Povo de Deus e as bênçãos que provem desta fidelidade. Neste dia, com a Mãe Aparecida, queremos louvar a Deus pela canonização da Irmã Dulce, inspiração e modelo de amor e doação em favor dos pobres e excluídos.   

 

ATO PENITENCIAL

Animador: Tudo o que temos e somos provem da graça de Deus. Peçamos perdão pelas vezes que não reconhecemos o bem que se faz presente em nossa vida e pela falta de gratidão em reconhece-lo. Cantemos...

 

GLÓRIA

Animador:  Louvemos a Deus que nos deu sua Mãe como nossa Padroeira e pela ação dos missionários, neste mês missionário extraordinário declarado pelo Papa Francisco e pela canonização de Santa Dulce dos pobres. Cantemos...

 

LITURGIA DA PALAVRA

Animador: “Se com ele morreremos, com ele viveremos.” Nossa missão de cristãos se resume na fidelidade a Deus que gera a plenitude da vida. Ouçamos as leituras...

 

1ª Leitura: 2Rs 5,14-17

2ª Leitura: 2Tm 2,8-13

Evangelho: Lc 17,11-19

 

REFLEXÃO

- A Liturgia de hoje nos apresenta Jesus que tocado por uma profunda misericórdia para com os mais excluídos da sociedade: os leprosos, os cura, os reintegra ao convívio social, mas também fica desapontado com a falta de reconhecimento e gratidão da parte da grande maioria dos beneficiados da graça de Deus. Somente um, movido pela verdadeira fé, voltou para agradecer. Esta é, de certo modo, a realidade de hoje. Tudo o que somos e temos é dom do amor, da misericórdia e da gratuidade de Deus, mas são poucos os que o procuram para agradecer.

- Na primeira leitura, Naamã, o sírio, acometido pela terrível doença da lepra, procura o profeta Eliseu porque tinha ouvido falar que ele era um homem de Deus e poderia curá-lo. Eliseu mandou-o mergulhar-se sete vezes no rio Jordão. Sete é o número da perfeição. A água é símbolo da purificação. Mergulhar sete vezes na água significa que a cura desse homem não será parcial, mas total, e uma cura perfeita ou que o torna perfeito. Com este gesto, ele estaria totalmente curado e integrado no plano de Deus, pois após a cura ele reconhece que o Deus de Eliseu é o Deus verdadeiro e que Eliseu é de fato um homem de Deus. Naamã renasce para uma vida nova, uma vida totalmente transformada. Obedecendo ao homem de Deus, Naamã não foi apenas curado, mas foi salvo, ele não obteve apenas a cura do corpo, mas da alma. Ele volta com a comitiva para agradecer ao homem de Deus; professa sua fé, reconhecendo que não há outro Deus, senão o Deus de Israel.

- No evangelho, Jesus está atravessando uma zona de turbulência, entre a Samaria e a Galileia. Território de povos excluídos, marginalizados, marcados pela dor, povos que se rivalizavam apesar de tantos sofrimentos. Povos subjugados e discriminados pelos judeus. É neste contexto que dez leprosos se dirigem ao encontro de Jesus, gritando por compaixão. A lepra era o símbolo máximo da exclusão. O fato de irem ao encontro de Jesus mostra que a missão de Jesus é se encontrar com aqueles que estavam em extremo estado de marginalização, e esse encontro era para incluí-los, não para legitimar sua marginalidade. Eles pedem compaixão e Jesus tem compaixão. Compaixão significa sentir a dor do outro, ou seja, sofrer com aqueles que sofrem. Jesus pede para os leprosos se apresentarem ao sacerdote, representante religioso que determinava quem era impuro e quem era puro. Jesus não rompe com as normas da lei. Ele age dentro da lei. Se é a religião que exclui, é a religião que deve incluir. Eles obedecem, confiam e, antes de encontrar o sacerdote, ficam curados. A cura se deu pela obediência a Jesus e pela fé. Mas apenas um, que era estrangeiro, volta para agradecer. Os demais se satisfizeram com a cura do corpo e não voltaram. A cura do corpo é importante, mas não basta, é preciso ser salvo. Muitos não buscam a Deus, mas buscam milagres. Quando recebem o que pedem, não voltam mais à Igreja. Este procedimento mostra uma relação mercantilista com Deus e com a religião. É uma relação de troca, de barganha, de compra da cura, como se milagres ou graças fossem produtos. Esse tipo de relação é superficial e profundamente desagradável.

- A liturgia de hoje nos pede firmeza na fé, perseverança nas aflições e testemunho fiel do Deus que encontramos e que nos salvou. Por tudo demos graças a Deus. Toda nossa vida deve ser uma vida de agradecimento, pois ele nos concedeu o bem maior, que é a salvação.

PRECES DA COMUNIDADE

Animador: Iluminados pelas reflexões deste dia, peçamos que a nossa amada mãe, Nossa Senhora Aparecida, interceda junto a Deus e nos abençoe. Após cada prece, rezemos: Nossa Senhora Aparecida, rogai por nós!

  1. Pelo Papa, clero e leigos, na ação missionária da Igreja, anunciem e testemunhem sua palavra no mundo. Rezemos.
  2. Pelos governantes do nosso País, para que trabalhem com justiça visando o bem comum. Rezemos.
  3. Pelas famílias brasileiras, para que nelas reine a unidade, a dignidade e a paz. Rezemos.
  4. Neste dia especial em que comemoramos o dia da criança, rezemos para que todas as crianças sintam o amor de Deus na convivência com seus pais e sejam educadas no caminho do bem. Rezemos.

 

OFERTÓRIO

Animador: Com o coração agradecido, colocamos no altar do Senhor, todas as bênçãos e graças recebidas no decorrer das nossas vidas, como também a graça de nos ter dado sua Mãe para animar nossa caminhada. Cantemos.

 

COMUNHÃO

Animador: Comunguemos o pão eucarístico que nos alimenta e ilumina o caminho de nossas vidas missionárias. Cantemos.

 

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio Cacique

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais