Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
05:00:00
Tá na Hora
07:00:00
 
 

Quatro anos sem Porca Véia: primo recorda legado do músico

Baixar Áudio por Ricardo Silva

Dirceu Rosa conviveu com Porca desde a infância

Familiar revelou histórias do artista, em entrevista
Foto: Ricardo Silva/Tua Rádio

Hoje, 12 de junho de 2024, marca quatro anos desde a perda de Hélio da Rosa Xavier, conhecido como Porca Véia, um dos mais influentes músicos da cultura gaúcha e um orgulho para Lagoa Vermelha, sua terra natal. Porca Véia, que faleceu em 2020 aos 68 anos, deixou um legado imenso. Se estivesse vivo, estaria completando 72 anos. Para relembrar a trajetória do artista, a Tua Rádio Cacique convidou seu primo, Dirceu Rosa, que curiosamente tem a mesma idade que Porca teria hoje.

Dirceu Rosa compartilhou lembranças da infância ao lado do primo, mencionando o tempo que passaram juntos em Lagoa Vermelha. "Nós nascemos na época em que tudo era Lagoa Vermelha. Porca nasceu no Pontão, e eu no Eucalipto, hoje Barracão. Nossa diferença é de apenas 12 dias e 12 quilômetros", mencionando a distância entre as casas dos dois.

Apelido

Sobre a trajetória de Porca Véia, Dirceu contou como Hélio se tornou o artista que todos conhecem. Conforme o primo, Porca começou a tocar ainda jovem, mas foi em Viamão, no ETA, que ganhou o apelido 'Porca Véia', dado por um amigo, Marco Polo, que achou o músico parecido com uma porca velha quando estava de quatro, comendo sem usar as mãos, em um trote escolar. Ele adotou o nome e se tornou um artista reconhecido.

Fama

Porca Véia se destacou pela sua habilidade com a gaita e por composições memoráveis. "Aqui ele tocava em festas sem cobrar”. Foi em São Francisco de Paula, convidado por Edson Dutra dos Serranos, que ele decidiu se dedicar inteiramente à música. Edson viu o talento de Porca e o incentivou a seguir a carreira artística.

Morte

Vítima da diabetes, Dirceu mencionou como essa doença afetou a vida de Porca Véia. "A diabetes judiou muito dele. Ele enfrentou várias complicações, incluindo amputação de um pé e problemas renais. Fez transplante, mas acabou falecendo".

Porca Véia teve quatro filhos, deixou um legado através de sua música e dos grupos que formou, como o Cordiona. "O Fernandinho e o Porquinha [Grupo Cordiona], apesar da semelhança, não são filhos biológicos de Porca”. Os dois seguiram seus passos na música, mantendo viva a memória do grande artista.

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio Cacique

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais