Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
14:00:00
Programa de Domingo
19:00:00
 
 

Hospital de Guaporé isola nova área para internações de pacientes com a Covid-19

por Eduardo Cover Godinho

Somente no mês de dezembro, 35 pessoas necessitaram de internação. Número é o maior desde o início da pandemia em março

O aumento significativo nos casos do coronavírus (Covid-19) em Guaporé, obrigou a direção da Associação Hospitalar Manoel Francisco Guerreiro, juntamente com a equipe médica e profissionais que estão diretamente ligados ao enfrentamento da doença, a tomar medidas mais rigorosas para evitar um colapso no atendimento da casa de saúde. O chamado “Plano B” foi colado em prática e a ala específica, antes com capacidade de internação para cinco pacientes, passou a contar com mais 15 novos leitos.

O Hospital Manoel Francisco Guerreiro, bem como o Poder Público, através do Comitê de Operações Emergenciais (COE), desde o início da pandemia, montou uma grande estrutura para atendimento de pessoas com sintomas e positivadas para a Covid-19. Hospital de Campanha, ala específica, profissionais capacitados e devidamente equipados com todos os itens de segurança necessários, aquisição e recebimento em doação de aparelhos respiratórios e outros, medicação recomendada à disposição, foram algumas das ações para conter o avanço do vírus e evitar que vidas fossem ceifadas pela misteriosa doença.

“Registramos uma mudança drástica na área de internações de pacientes mais graves sintomáticos e necessitando de UTI no mês de dezembro que nos obrigou a passar do ‘Plano A’ – ala de internações com capacidade para cinco leitos, para o ‘Plano B’ com 20 leitos. Uma ala do Hospital Manoel Francisco Guerreiro foi isolada, contando com posto específico só para atendimento de pacientes positivados e suspeitos da Covid-19, além da necessidade de uma organização específica para suprir a demanda no atendimento”, destacou o diretor clínico, Dr. Cristhian Karpinski.

Os pacientes internados na ala demandam de cuidados específicos dos profissionais médicos e de enfermagem e o quadro clínico pode sofrer alterações, evoluindo para a recuperação, como também apresentando complicações a cada instante. Cada tomada de decisão é discutida entre todos os integrantes do corpo clínico.

“Não são decisões únicas. O quadro clínico de cada paciente é discutido e avaliado pela equipe, seguindo sempre as determinações dos protocolos e o que se tem de estudo sobre a doença. Temos os médicos rotineiros da Covid-19 que passam para avaliações diárias pela manhã e à tarde. É bom esclarecer que os pacientes ficam assistidos 24h por dia pelos técnicos de enfermagem, enfermeiros e médico de plantão e, dependendo da situação apresentada, há possibilidade da mudança de planos para o pedido de internações em leitos de UTI”, disse Karpinski.

Internações

Conforme dados apresentados pela direção do Hospital de Guaporé, o pico de internações aconteceu em dezembro com 35 (dados apurados até o dia 21). Em agosto foram 28 e em setembro 24. Nos meses de julho, outubro e novembro foram 11 internações cada. Abril e maio, nos meses iniciais da pandemia, duas pessoas necessitaram de atendimento na ala específica para casos da Covid-19. Em junho, foram três.

“Precisamos do esforço, colaboração e solidariedade de cada um para diminuir os impactos que a disseminação do vírus causa. Faça a diferença! Ame e cuide para iniciarmos um novo ano cheio de esperança e saúde”, destaca a postagem da unidade hospitalar.

Os números da Covid-19 apontam 1.486 casos da doença em Guaporé. Deste total, 395 foram registrados no mês de dezembro. 15 pessoas perderam a vida em decorrência das complicações causadas pelo vírus.

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários