Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
18:00:00
Tua Saúde
19:00:00
 
 

Corsan abre licitação para construção de nova adutora de água bruta em Guaporé

por Eduardo Cover Godinho

Investimento aproximado é de 7,3 milhões. Obra, que resolverá parte da falta de água, é aguardada com ansiedade pela comunidade há anos

Nova captação será maior em extensão
Foto: Divulgação

Reclamações e mais reclamações. Cobranças, muitas cobranças. Assim são os capítulos da novela, com esse enredo hostil, que envolvendo há tempos a comunidade e a Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) – Unidade de Guaporé, quando o fornecimento de água é interrompido pelo rompimento da adutora de água bruta. Construída há décadas, a adutora é a principal dor de cabeça dos servidores da estatal e, ao término de 2019 e ao longo de 10 meses de 2020, os problemas cresceram a ponto uma revolta geral. O ápice aconteceu entre o Natal e Final de Ano, bem como no primeiro mês do ano, quando por dias e mais dias nenhuma gota de água saia das torneiras. Foi, literalmente, a “gota de água” que precisava para que autoridades dos Poderes Executivo e Legislativo tomassem providências mais enérgicas.

Vereadores do PT e PP entraram com uma representação no Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul (MP/RS) cobrando explicações e solicitando urgentemente a construção de uma nova adutora. O Poder Público, diante das constantes interrupções no fornecimento de água para as milhares de economias, abriu processo administrativo especial para que a Corsan cumprisse o que está determinado no Plano de Saneamento Básico aprovado em 2017. A pressão, inclusive da Promotoria de Justiça da Comarca de Guaporé, através do promotor Dr. Cláudio da Silva Leiria, surtiu efeito e, diante da situação, a estatal resolveu dar um basta definitivo no problema com a abertura do edital de licitação para a substituição do sistema de adução de água bruta, ou seja, a construção de uma nova adutora. As empresas interessadas deverão apresentar as propostas até às 10h do dia 10 de novembro e às 14h terá início a etapa de lances.

A nova adutora

A adutora que conduz cerca de sete milhões de litros por dia para a Estação de Tratamento de Água (ETA) apresenta constantemente ocorrências de vazamentos e rompimento. A tubulação, construída há décadas e com metragem aproximada de 2,5 mil metros, passa por propriedades privadas (terrenos) e impede que as mesmas sejam loteadas. O desnível de 270 metros entre o rio e a ETA é um dos grandes problemas.

“A adutora, construída em décadas passadas, é toda de ferro, desde a saída do Carreiro até a chegada para o tratamento. O ferro está bastante ‘agredido’ pela ação do tempo, que é a ferrugem. Com a construção da nova adutora, a grande maioria dos problemas de falta no fornecimento de água para os guaporenses deixará de existir, visto o material que será utilizado para a execução da obra”, disse o gerente da Corsan – Unidade Guaporé, Jorge Luís Dexheimer.

Conforme a Superintendência de Gestão Operacional (Sugop), através da engenheira Fabiana de Castro Ribeiro, o projeto consiste em nova adutora de água bruta DN 400, com vazão de 125 l/s, altura manométrica de 270 mca e extensão de 3.026 metros com os respectivos equipamentos de proteção. A execução, pela complexidade e questões operacionais, será em duas etapas. A 1ª entre a caixa de interligação e a ETA (trecho mais alto), 2ª corresponde ao trecho entre a Elevatória de Água Bruta (EAB) e a caixa de interligação (trecho mais baixo).

“O trecho mais baixo acompanha o traçado da adutora existente e o mais alto não. Este segue por uma estrada vicinal e por vias urbanas no entorno da ETA (bairro São José), evitando passar por propriedades particulares e facilitando a manutenção, quando necessária”, disse.

A adutora projetada em tubulação FoFo DN 400 (568m em K9 JTE e 1.442 em K7 JGS) e tubulação de PVC DEFoFo DN 400 (952m), sendo a chegada na ETA com aproveitamento de tubulações existentes em aço DN 300 (64m). O investimento previsto da obra é de R$ 3,87 milhões para a 1ª etapa e R$ 3,28 milhões para a 2ª etapa, totalizando pouco mais de R$ 7,15 milhões. Após o conhecimento da empresa vencedora e a conclusão da parte burocrática, a construção da nova adutora terá o prazo de execução em 365 dias.

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários