Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
14:00:00
Em Alta
18:00:00
 
 

Cookies e Política de Privacidade
A Tua Rádio utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Regiões de Caxias do Sul, Santo Ângelo, Santa Maria e Uruguaiana passam para bandeira vermelha

por Roger Marx

Regiões passaram de risco médio para alto de contágio de Covid-19.

Foto: Divulgação

Em meio ao aumento de contaminações, mortes e internações em Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) pelo novo coronavírus no Rio Grande do Sul, o governo do Estado piorou a classificação de 5 das 20 regiões no sistema de Distanciamento Controlado contra a Covid-19. Com a mudança, Caxias do Sul, Santo Ângelo, Santa Maria e Uruguaiana passaram de bandeira laranja (risco médio) para vermelha (risco alto). Já Bagé passou de bandeira amarela (risco baixo) para laranja. Já a região de Santa Cruz do Sul obteve melhora nos indicadores, indo de bandeira laranja para amarela.

Na região de Caxias do Sul, os registros de hospitalizações confirmadas para Covid-19 cresceram 173,9% entre as duas semanas, passando de 23 para 63 hospitalizações. Mesmo sem considerar a alteração na faixa de corte, a região teria obtido a bandeira preta nesse indicador. Segundo o governo estadual, esse elevado crescimento aponta para um alerta ainda maior na região, pois se trata da velocidade do avanço da pandemia, com efeitos que podem permanecer por mais semanas. 

Os indicadores de incidência de novos casos sobre a população – “hospitalizações confirmadas para Covid-19 em relação à população” e “Projeção de óbitos em relação à população” apresentaram significativa piora. Assim, considerando as mudanças nos indicadores e o elevado crescimento, ambos variaram de bandeira laranja para preta.

Santa Maria e Uruguaiana

As regiões de Santa Maria e Uruguaiana tiveram um aumento expressivo no indicador de variação de internados por SRAG em UTI durante a semana, passando de 14 para 25 e de quatro para oito, respectivamente.  Em Uruguaiana, o indicador de hospitalizações confirmadas para Covid-19, registradas nos últimos sete dias, também apresentou bandeira preta, com um crescimento de oito hospitalizações entre as duas semanas – de seis para 14. As internações passaram de quatro para seis. Devido a esse crescimento e, também pelas alterações nos pontos de corte, o indicador ficou em bandeira preta, com um alerta importante para as duas regiões. 

Na macrorregião como um todo, apesar de o indicador de internados confirmados para Covid-19 em leitos clínicos não ter apresentado crescimento tão expressivo (de 26 para 30), os de internados pela doença (casos confirmados) em UTI elevou expressivamente (de 13 para 24). Os indicadores de estágio da evolução na região e de incidência de novos casos sobre a população também tiveram pioras nas suas bandeiras nas duas regiões – ambos com bandeira vermelha para Santa Maria e com bandeiras preta e vermelha, respectivamente, para Uruguaiana.

Mudanças nas regras

As alterações seguem ajustes no modelo anunciados pelo governador Eduardo Leite na última quinta-feira. Dos 11 indicadores levados em conta, o Palácio Piratini alterou quatro e apertou o ponto de corte em sete. As novas regras nos índices de óbitos por Covid-19, por exemplo, têm uma projeção das mortes nos últimos sete dias e na variação de pacientes internados em UTI, ao invés de usar o número de óbitos dos últimos sete dias.

Confome as modificações, se a região atingir a bandeira vermelha ou preta, são necessárias duas semanas consecutivas com bandeiras menos graves para que haja mudança na cor. Isso é para evitar que indicadores apresentem falsas melhoras e para ter certeza que a região obteve as melhoras necessárias.

Assim, para a região passar da bandeira amarela para a laranja, a taxa de avanço de hospitalizações por Covid-19, no período de duas semanas, terá que passar de 5% a 20%; para ir da laranja para a vermelha, o avanço deve ser de 20% a 50%; e, da vermelha para a preta, o avanço precisa ser de 50%. 

O que muda com a bandeira vermelha

Administração Pública
:: Serviços não essenciais podem atuar com 25% de  trabalhadores
:: Serviços de habilitação de condutores podem atuar com 50% de trabalhadores

Agropecuária
:: Agricultura, pecuária e relacionados com 50% de trabalhadores
:: Pesca e aqüicultura com 25% de trabalhadores

Alimentação
:: Restaurantes self-service não podem abrir
:: Restaurantes a la carte, prato feito e buffet sem autosserviço com 50% de trabalhadores
:: Lanchonetes e padarias com 50% de trabalhadores

Alojamento
:: Hotéis e similares com 40% dos quartos
:: Hotéis e similares (beira de estradas e rodovias) com 75% dos quartos

Comércio que não pode abrir:
:: Varejista de itens não essenciais

Comércio que pode abrir com 25% dos trabalhadores:
:: Comércio de Veículo, apenas teleatendimento
:: Manutenção e Reparação de Veículos, teleatendimento e presencial restrito
:: Atacadista não essencial, apenas por telentrega, pegue e leve e drive-thru
:: Centro comercial e shopping, mas apenas lojas de alimentação, higiene e itens essenciais. Recomendada a medição de temperatura

Comércio que pode abrir com 50% dos trabalhadores:
:: 
Comércio Varejista de Produtos Alimentícios
:: Comércio Atacadista de Itens Essenciais
:: Comércio Varejista de Itens Essenciais
:: Postos de gasolina, mas é vedada aglomeração

Educação
::
 Todas as modalidades de ensino devem ser remotas, o que inclui aulas particulares de idiomas, de música, de esportes, de dança e artes cênicas, de arte e cultura.

:: São autorizadas apenas as atividades práticas essenciais para conclusão de curso: pesquisa, estágio curricular obrigatório, laboratórios e plantão dos ensinos Médio e Superior. Devem operar com 25% dos trabalhadores e monitoramento de temperatura.

Indústria que pode abrir com 75% dos trabalhadores
:: Construção de Edifícios
:: Obras de Infraestrutura
:: Serviços de Construção
:: Extração de Carvão Mineral
:: Extração de Petróleo e Gás, com monitoramento de temperatura
:: Alimentos e Bebidas
:: Farmoquímicos e Farmacêuticos, com monitoramento de temperatura

Indústria que pode abrir com 50% dos trabalhadores
:: Fumo
:: Têxteis
:: Vestuário
:: Couros e calçados
:: Madeira
:: Papel e celulose
:: Impressão e Reprodução
:: Derivados do petróleo
:: Químicos
:: Borracha e Plástico
:: Minerais não metálicos
:: Metalurgia
:: Produtos de Metal
:: Equipamentos Informática
:: Materiais Elétricos
:: Máquinas e Equipamentos
: Veículos Automotores
:: Móveis
:: Produtos Diversos
:: Manutenção e Reparação 

Serviços que não podem abrir
:: Casas noturnas, bares e pubs
:: Academia
:: Clubes sociais, esportivos e similares
:: Serviços de higiene pessoal (cabelereiro e barbeiro)
:: Missas e serviços religiosos
:: Serviços Domésticos
:: Parques Temáticos e similares
:: Teatros, cinemas e casas de espetáculos
:: Museus, bibiliotecas, arquivos, acervos e similares
:: Ateliês
:: MTG e similares
:: Eventos em ambiente fechado ou aberto
:: Agência de turismo, passeios e excursões

Serviços que podem abrir com 100% dos trabalhadores
:: Funerária
:: Pesquisa científica e laboratórios (pandemia)

Serviços que podem abrir com 50% dos trabalhadores
:: Bancos, lotéricas e similares
:: Assistência Veterinária
:: Parques e reservas naturais, jardins botânicos e zoológicos = Sem atendimento ao público
:: Advocacia
:: Call-center

Serviços que podem abrir com 25% dos trabalhadores
:: 
Imobiliárias e similares, apenas por teleatendimento
:: Reparação e manutenção de objetos e equipamentos
:: Lavanderias e similares
:: Serviços de contabilidade, auditoria, consultoria, engenharia, arquitetura e publicidade, apenas por teleatendimento

Transporte que pode operar com 100% dos trabalhadores
:: 
Transporte rodoviário de carga
:: Estacionamentos

Transporte que pode operar com 50% dos assentos (janela)
:: Rodoviário fretado de passageiros
:: Rodoviário de passageiros intermunicipal do tipo comum
:: Rodoviário de passageiros metropolitano ou intermunicipal do tipo semidireto, direto, executivo ou seletivo, com monitoramento de temperatura
:: Rodoviário de passageiros interestadual. com monitoramento de temperatura

Transporte que pode operar com 50% dos trabalhadores
:: Correios 

Transporte que pode operar com 25% dos trabalhadores
:: Aeroclubes e aeródromos

* com informações do Correio do Povo.

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais