Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
09:00:00
Temática
12:00:00
 
 

Câmara tem manhã de protestos em virtude do um ano de fechamento do Postão 24h

por Isadora Helena Martins

Lideranças comunitárias, sindicais e vereadores se manifestaram sobre o fato

Foto: Divulgação / Gabriela Bento Alves

Representantes da União das Associações de Bairros (UAB), do Sindicato dos Servidores Municipais de Caxias do Sul (Sindiserv), do Conselho Municipal da Saúde e de outros movimentos comunitários se fizeram presentes na Câmara de Vereadores, nesta quinta-feira (17), para protestar contra o um ano de fechamento do Postão 24 horas.

Conforme a presidente do Sindiserv, Silvana Piroli, que se manifestou na tribuna, a transformação do antigo PA em Unidade de Pronto Atendimento Central (UPA) e a terceirização do serviço contraria a legislação. “Não foi aprovado pelo Conselho a terceirização. O sistema de saúde em Caxias é municipalizado e o serviço de saúde privado precisa ser complementar. Se você tem só dois atendimentos de urgência e emergência: um deles é a UPA Zona norte e o outro vai ser a UPA Central, os dois são privados. O que é complementar? O que é principal? Portanto privatizar esse serrviço fere a Constituição”.

O presidente da UAB, Valdir Walter, também fez críticas ao Executivo: “A gente fica muito triste em comemorar um ano sem o atendimentom, que faz falta para a comunidade caxiense. A gente sabe que a UPA Zona Norte era o grande desafio para que o problema da saúde de Caxias do Sul fosse resolvido. Mas, a UPA foi estrangulada com o fechamento do Postão”.

O Diretor Jurídico da UAB, Lucas Diel, também se manifestou durante a sessão e afirmou que o fechamento do Postão caracterizou ato de improbidade administrativa do prefeito Daniel Guerra (Republicanos). “A Câmara de Vereadores está com um pedido de impeachment para ser analisado e um dos argumentos é justamente esse: se cometeu ato de improbidade no fechamento do Postão por não ter sido observado o Conselho de Saúde, que é um conselho deliberativo. E o princípio da legalidade foi aviltado aí”.

Após a fala das liderabnças o público presente no plenário protestou cantando parabéns.

O presidente da Comissão de Saúde e Meio ambiente da cãmara, vereador Renato Oliveira (PcdoB) complementou as falas dos líderes e alegou que quando o atendimento nomlocal era municipalizado a população era bem atendida. “As pessoas foram sempre bem atendidas no Postão, sempre bem atendidas por servidores de carreira. Só não foram atendidas melhor porque faltavam servidores, faltavam condições pra eles. Se o gestor fizesse sua parte, isso não teria acontecido”, afirmou.

Ainda estão previstos protestos para hoje. A partir das 17h30 os movimentos comunitários e sindicais devem se reunir em frente ao Postão para continuar a manifestação.

Conforme a prefeitura, a UPA Central será aberta para atendimento da população até o dia 31 de dezembro deste ano.   

Ouça AQUI.

     

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais