Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
05:00:00
Tá na Hora
07:00:00
 
 

Procura de imigrantes por cestas básicas cresceu 633% em um período da pandemia, em Caxias e região

Baixar Áudio por Daniel Lucas Rodrigues

Dados foram apresentados pelo Centro de Atendimento ao Migrante (CAM)

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Covid-19 foi uma das principais causas para o aumento da procura de imigrantes pelo Centro de Atendimento ao Migrante (CAM) nos últimos dois anos, em Caxias do Sul e região. O espaço realizou perto de 7.203 atendimentos em 2020, um aumento de 26% se comparado a 2019, período pré-pandemia. O número diminuiu ano passado (6.650 atendimentos), mas, mesmo assim, ainda se manteve uma alta de 16% frente a 2019.

O advogado de imigrações do CAM, Adriano Pistorelo, acredita que o crescimento é uma combinação de fatores. O principal seria o aumento da vulnerabilidade social ocasionada pela pandemia. Muitos procuraram o Centro para pedir sobre questões do auxílio emergencial em 2020, quando surgiu o benefício. A maioria também foi atrás de ajuda para alimentação. Em certo momento, foi registrado um aumento de 633% na procura por cestas básicas em relação a 2019. Ele conta que passou de 30 para 220 distribuições por mês em um período da pandemia. Nos últimos três anos, o CAM doou 2.702 cestas básicas.

Ao todo, 57 cidades da região receberam imigrantes. Caxias do Sul é a que tem o maior número, seguida por Bento Gonçalves, Farroupilha e Garibaldi. As comunidades senegalesa e haitiana ainda são a maioria na região, porém, nos últimos anos, pessoas advindas da Venezuela vêm crescendo. Atualmente, a maioria dos atendimentos do CAM é desta nacionalidade. Pistorelo conta que o número aumenta desde 2020. Grande parte é refugiada, que saem da Venezuela por conta da violação aos direitos humanos e de não ter acesso a infraestrutura básica. Caxias e região se tornam opções pelas vagas de emprego.

Ele explica que a empresa JBS possui parceria com o governo federal, por meio do Programa de Interiorização. O projeto faz a distribuição de refugiados venezuelanos, que desejam se deslocar para outros estados brasileiros. Como a JBS possui frigoríficos na região, muitos venezuelanos fazem assentamento. Outro fator é que, mais tarde, os já residentes trazem suas famílias.

O Centro de Atendimento ao Migrante (CAM) contabiliza 58 nacionalidades presentes em Caxias e região. A estimativa é que cerca de 5 mil imigrantes vivam nesta localidade.

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais