Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
06:30:00
Caminhos da Fé
08:00:00
 
 

As maçãs e os dentes

Gislaine Marins

Comer maçã é muito bom. A gente pode comer com casca ou descascada. Podemos comer às mordidas ou cortada em cubinhos. Dá para comer com açúcar por cima dos pedaços. A gente também pode raspar a maçã e dar na boca, como fazemos com as crianças. Podemos escolher a cor da maçã: vermelha, verde, amarela. Podemos comer maçã orgânica sem sentimento de culpa. Enquanto comemos maçãs e ficamos de boca fechada porque não se fala de boca cheia, podemos pensar em coisas perversas, como cuidar dos próprios interesses e desinteressar-se pelos problemas dos outros. Podemos até sorrir intimamente ao perceber a desgraça alheia, que não é nossa, porque do contrário comeríamos maçãs chorando e borrando a maquiagem. Podemos comer maçãs para esquecer um grande amor ou para amargar uma desilusão. As bolsas podem subir e o poder aquisitivo deteriorar-se: enquanto a maçã estala entre os dentes as nossas sensações ficam distraídas pelo doce e pelo ácido que se desmancham na boca, a nossa ética é obscurada pela resistência das fibras vegetais à força dos nossos molares.

Um ditado ensina que é preciso comer uma maçã por dia para manter a boa saúde. Muito sexo e poucas maçãs os males do Brasil são! Pelo direito de comer maçãs e de fazer caretas ao digerimos as ordens para ler somente o que é adequado! Sim, porque podemos ler enquanto engolimos despropérios. Podemos deglutir melhor com as lágrimas e se tudo ficar excessivamente indigesto, podemos cortar as nossas frustrações em quatro partes, e engolir uma de cada vez.

Podemos comer maçãs centrifugadas, batidas com leite, podemos até misturar com cachaça. Podemos compartilhar as nossas maçãs nas redes até que os nossos olhos fiquem fartos da nossa frugal opulência. Podemos falar de maçãs para não falar da nossa indiferença, para ignorar a nossa penúria, para iludir a nossa mesquinhez. Podemos simular o nosso recato, comendo maçãs e cobrindo convenientemente as nossas vergonhas.

Podemos tomar chá de maçã, mas é melhor mastigar o fruto fresco, a fim de polir os dentes e melhor limpar o sangue. Maçã é muito bom para o coração e para o egoísmo.

Por fim, podemos plantar as sementes de maçãs, antes de jogar os restos no lixo. Mas mesmo que tudo seja descartado, não é impossível que uma macieira brote no meio da imundície. É muito bom.

Sobre o autor

Gislaine Marins

Doutora em Letras, tradutora, professora e mãe. Autora de verbetes para o Pequeno Dicionário de Literatura do Rio Grande do Sul (Ed. Novo Século) e para o Dicionário de Figuras e Mitos Literários das Américas (Editora da Universidade/Tomo Editorial). É autora do blog Palavras Debulhadas, dedicado à divulgação da língua portuguesa.

([email protected])

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais