Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
18:00:00
Encontro Certo
19:00:00
 
 

Cookies e Política de Privacidade
A Tua Rádio utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Anvisa autoriza uso emergencial de coquetel contra a Covid-19

por Larissa Macena de Oliveira

Não será permitida a venda em farmácias

Foto: © Reuters/Phil Noble/Direitos Reservados

Na terça-feira (20), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária autorizou por unanimidade, o uso emergencial temporário, em caráter experimental, de medicamento para o tratamento da Covid-19: o REGN-COV-2.

No dia 1º de abril, a Anvisa recebeu um pedido de uso emergencial do remédio no Brasil, pela farmacêutica suíça Roche, que produz o medicamento em parceria com a empresa norte-americana Regeneron. Trata-se de um coquetel contendo dois medicamentos que são anticorpos feitos em laboratório. Eles imitam o sistema imunológico na tentativa de neutralizar a Covid-19.

As áreas técnicas da Anvisa deram parecer favorável à liberação emergencial do remédio, entre elas, a gerência de Medicamentos e Produtos Biológicos, sob a coordenação do servidor Gustavo Mendes Lima Santos. Quanto às incertezas destacadas pela área técnica da Anvisa, está a necessidade de mais dados sobre as plantas para fabricação do medicamento no Brasil, além de outros dados sobre testes clínicos para a variante P1, e também sobre mulheres grávidas.

Existem, atualmente, quatro estudos clínicos em andamento sobre esse remédio. O gerente da Anvisa, Gustavo Mendes Santos, destacou que os resultados preliminares são positivos.

A relatora do caso na Anvisa, a diretora Meiruze Freitas, afirmou que agências reguladoras dos Estados Unidos, Alemanha, França, Itália, entre outras, já deram autorização para o uso emergencial do produto. Mas, nenhum país do mundo deu ainda o registro definitivo do medicamento contra a covid-19.

O REGN-COV-2 é recomendado para pacientes sintomáticos da doença com risco de evoluir para casos graves, como idosos, pessoas obesas ou com doenças crônicas. Ele é ainda restrito para pessoas com mais de 12 anos e mínimo de 40 quilos. A Anvisa liberou o uso do medicamento pelo período de 12 meses.

Fonte: Agência Brasil

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio Veranense

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais