Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
05:00:00
Música e Informação
06:30:00
 
 

Mulher encontrada em São Valentim do Sul é do Litoral Norte

por Eduardo Cover Godinho

Crime que vitimou Rosângela Muzikant Peres, 35 anos, pode ter motivos passionais. Polícia Civil de Guaporé segue investigando o caso em busca do assassino

Policia Civil buscará saber a identidade do assassino da moradora de Torres encontrada no Rio Taquari
Foto: Reprodução

O mistério do corpo de uma mulher em estado avançado de decomposição localizado no dia 21 de novembro de 2015 no leito do Rio Taquari, em São Valentim do Sul, terminou. Após o resultado do exame de DNA expedido pelo Departamento Médico Legal (IML), de Passo Fundo, e o reconhecimento por fotos por parte dos familiares, descobriu-se que o corpo era de Rosângela Muzikant Peres, 35 anos, moradora do município de Torres, do Litoral Norte. Ela, localizada por veranistas que estavam se banhando nas águas, estava amordaçada (plástico na boca), com partes do corpo amarradas (pernas e braços) e com peças de ferros (discos de freio) no abdômen para evitar que flutuasse e a suspeita era de que tivesse sido jogada da ponte do Distrito de Santa Bárbara, a cerca de um quilômetro de onde foi encontrada.

Desde o primeiro momento, a equipe de investigação da Delegacia de Polícia (DP) de Guaporé, encarregada pelo caso, trabalhava com a hipótese de homicídio. O inquérito policial segue aberto e agora os policiais buscam descobrir o culpado pelo crime que pode ter motivações passionais. Rosângela morava em Torres com o companheiro e os cinco filhos com 14, 11, oito, sete e quatro anos. Ela desapareceu no dia 4 de novembro em Gravataí, quando foi visitar seus familiares.

A informação repassada por uma amiga da vítima à polícia civil é que a moça havia se deslocado da região metropolitana para Caxias do Sul encontrar uma pessoa. Desde então nunca mais foi vista e seu corpo somente foi localizado 17 dias após o desaparecimento ter sido comunicado às autoridades policiais.

 

Familiares

Em entrevista aos meios de comunicação da região metropolitana de Porto Alegre, a mãe Danila Muzikant, 79 anos, e a irmã Laura Peres, 50 anos, solicitaram que as autoridades policiais encontrem o assassino.

“O monstro que matou minha filha e a jogou naquele rio, tem que pagar pelo que fez. Só assim ela e nós vamos descansar”.

O corpo de Rosângela foi enterrado na manhã da quarta-feira, dia 13 de janeiro, no cemitério Memorial Jardim da Colina, em Cachoeirinha. A família aguardava desde a sexta-feira, dia 8, para realizar os atos fúnebres da dona de casa, que teve o corpo trocado com o de um homem e enterrado na cidade de Não-Me-Toque. A troca havia ocorrido no final de 2015 no Departamento Médico Legal (DML), de Passo Fundo.

“A dor agora é um pouquinho menor. Pelo menos agora, quando eu quiser levo uma florzinha para ela. Coitadinha da minha filha. Depois de tudo isso, teve um enterro digno”, disse Danila.

Central de Conteúdo Unidade Sarandi

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais