Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
00:00:00
Igreja no Rádio
05:00:00
 
 

Preocupação: Futuro do Lar Santa Rita é incerto

por Eduardo Cover Godinho

Casa que atende idosos em situação de vulnerabilidade precisa de ajuda da comunidade

Encontro reuniu autoridades e membros da diretoria. O propósito é único salvar a entidade
Foto: Divulgação

É mais que uma casa, que um abrigo, um porto seguro. Mais do que cama quente, comida na mesa e atendimento em saúde. É amor. É família. É carinho. É respeito. É lar. O Asilo Santa Rita, conhecido carinhosamente como Lar dos Idosos, é um lugar onde pessoas idosas, em situação de vulnerabilidade social, muitos abandonados completamente por seus familiares, encontram dignidade para passar sorrindo pela última fase da vida.

No Santa Rita, os idosos recebem todo tipo de serviço necessário com relação a alimentação, prevenção e tratamento de doenças, atividades saudáveis e amparo. São uma grande família, que há 20 anos foi instalada em Guaporé. Esse trabalho, que até então era mantido em grande parte pelo suporte financeiro da empresa Credeal através do trabalho incansável do sócio-proprietário Carlos José Alban, precisa do apoio e união da comunidade para continuar prestando seus serviços com a mesma qualidade.

Um abnegado grupo de pessoas, entre direção, voluntários, funcionários, forças da comunidade e Poderes (Executivo, Legislativo, Judiciário, Ministério Público, Defensoria Pública e OAB Subseção Guaporé) está unido para que os gastos mensais da entidade possam ser supridos, sem que nada mude para os internos. Porém, a luz de alerta está acesa. E pode faltar verba para a manutenção deste relevante serviço. Atualmente, o Lar dos Idosos acolhe e ampara nove pessoas abandonadas pelas famílias ou sem condições de prover o sustento próprio, sendo que muitas estavam vivendo em precárias condições, sem higiene, saúde e principalmente, dignidade. Cada idoso custa em torno de R$ 3,5 mil mês.

Para salvar esse ambiente de paz e harmonia, um encontro reunindo membros da diretoria, com destaque para o presidente Flávio Soccol, a juíza Dra. Renata Dumont Peixoto Lima, promotor Dr. Laerte Kramer Pacheco, defensor público Dr. Ricardo Girardello, presidente da OAB Subseção Guaporé Dr. Francisco Salvagni e a presidente da Câmara de Vereadores, Andréia Caron (PP), aconteceu na entidade na segunda-feira, dia 21. Durante aproximadamente uma hora, foram debatidos assuntos estritamente ligados ao futuro, principalmente financeiro, do Asilo Santa Rita e a manutenção das atividades. O advogado Carlos A. Roggia destacou que a empresa Credeal, fundadora do Lar, deu suporte financeiro durante duas décadas, mas os tempos mudaram e agora um novo jeito de administrar está sendo implantado.

“Jamais poderemos nos queixar da empresa Credeal, das comunidades de Guaporé e Serafina Corrêa, dos Poderes e do empresariado. Sempre que solicitados, nunca se negaram a colaborar conosco”, disse.

Integrante do Conselho Fiscal/Deliberativo do Asilo Santa Rita, o advogado Salvagni, salientou que mudanças estatutárias, promovidas há pouco tempo, buscam achar o ponto de equilíbrio financeiro e dar um novo fôlego para aqueles que necessitarem da moradia.

“A entidade completou 20 anos em 19 de novembro de relevantes serviços prestados às comunidades de Guaporé e municípios da região. Para nós, que fizemos parte da diretoria, será um marco a mudança de paradigmas da entidade para que possamos acolher as pessoas em caráter privado também. Antes o Lar Santa Rita funcionava no sentido de atender os idosos que não tinham nenhuma condição financeira ou familiar. Só que o modelo não é mais suportável. As comunidades colaboram muito e a mantenedora, a empresa Credeal, está com dificuldades frente a situação econômica do Brasil e nós estamos com um novo planejamento. A Credeal deve doar esse acolhedor espaço para a entidade para que possamos gerir esse novo formato de atendimento aos idosos”, salientou.

Salvagni salientou que o Asilo Santa Rita está apto a receber, após a mudança estatutária, idosos em caráter privado e de internações judiciais. Ele acredita que em um curto espaço de tempo a entidade se recuperará.

“Estamos convictos que sim. O Asilo Santa Rita tem um planejamento e os Poderes estão colaborando. O Lar, é bom que se diga, não é da Credeal ou da diretoria, é da comunidade guaporense e regional. Todos abraçaram-no e ele estará aqui sempre que for preciso”.

 

Instituições sensibilizadas

Referência no atendimento aos idosos na região, o Asilo Santa Rita, que tem enfrentado dificuldades, foi “abraçado” pelas instituições. A Dr. Renata, que tem atuado fortemente para colaborar com o desenvolvimento das entidades do município, afirma que todos estão engajados para que o espaço acolhedor possa continuar dando dignidade e fazendo com que os internos possam passar pela última fase da vida com segurança e carinho.

“Dentro da medida do possível, após as alterações estatutárias, nós do Judiciário, também o Ministério Público e Defensoria Pública, vamos colaborar para que o Lar Santa Rita tenha vida longa e possa receber ainda mais idosos. Existe todo um formato jurídico que está sendo adotado e dentro disso algumas medidas judiciais são necessários para regularizar os idosos que lá se encontram e não têm familiares. O Judiciário será parceiro e participou do encontro para contribuir com ideias e soluções”, destacou a magistrada.

O diálogo e a articulação, segundo a Dra. Renata, simplificam o procedimento de colaboração com o Asilo Santa Rita. A aproximação entre todos faz com que o propósito maior, que é acolher os idosos que em fase final da vida estão à mercê do abandono, da negligência e das doenças, possa continuar sendo desenvolvido para que os assistidos continuem tendo atenção especial.

Central de Conteúdo Unidade Sarandi

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais