Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
 
 

Empregos formais estão em alta no ano em Guaporé

por Eduardo Cover Godinho

Dados compilados pelo Observatório do Trabalho da UCS apontam saldo acumulado entre admissões e desligamentos de 141 postos abertos

Foto: Divulgação

O mercado de trabalho mostra sinais de recuperação em 2017. Em mais um levantamento do Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS), através da compilação dos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), o Brasil registrou crescimento. No mês de julho foram abertos mais de 35,9 mil postos de trabalho. No ano, são mais de 112,5 mil pessoas, no saldo acumulado entre admissões e desligamentos, que estão com carteira assinada e na formalidade. A retomada econômica, apesar da desconfiança do momento político, faz com que o empregador volte a investir na contratação de mão de obra, principalmente a qualificada.

Em Guaporé, segundo o Núcleo de Inovação e Desenvolvimento da Universidade de Caxias do Sul (UCS) – Observatório do Trabalho, o ano de 2017 está de vento em popa. São 141 vínculos abertos no balanço entre admitidos e demitidos nas atividades econômicas analisadas. O destaque é a Construção Civil (54 abertos). A evolução no emprego, porém, não conseguiu apagar as marcas deixadas pela forte crise que atingiu o país nos anos de 2015 e 2016. No saldo dos últimos 12 meses, foram fechados 152 vínculos de trabalho na cidade. O setor que mais fechou foi o da Indústria da Transformação com 197 vínculos. Nesse mesmo período, o setor que mais abriu foi o do Comércio, com 54.

A Coordenadora do Observatório do Trabalho, prof. Lodonha M.P.C. Soares, salienta que apesar do bom momento vivido, os dados devem ser analisados em amplitude macro, pois revelam que ainda há débito e pessoas que estão em busca do emprego.

“No ponto de vista otimista o ano mostra-se muito bom para o mercado de trabalho com mais de 140 pessoas com carteira assinada no saldo acumulado. No entanto, o desempenho do mês de julho, apesar de positivo (5 de saldo), revelou crescimento somente no comércio e na extrativa mineral. Os demais setores de atividade econômica apresentaram números negativos. Nós economistas estamos no período em que chamamos de linha tênue. Dependendo das notícias econômicas e políticas vindas de Brasília os agentes econômicos – famílias, empresas – tem ou não mais propensão a consumir, investir, ou seja, tem mais otimismo. Quando não são tão boas, há uma precaução maior e um cuidado. Guaporé está com saldo positivo no ano e isso é muito bom. Porém, temos que estar sempre atendos ao nosso redor, pois não vivemos em uma bolha”, disse.

Para Lodonha, o ano seguirá com oscilações nas mais diversas atividades econômicas: “Ora registra-se crescimento, ora queda no mercado formal”. Isso porque, a eleição para os cargos majoritários a nível Federal e Estaduais se aproxima, fazendo com que os empreendedores se retraiam no momento de buscar investir e ampliar seus negócios.

“A boa notícia é que chegamos ao fundo do posso. Agora estamos começando a escalada. Ainda não chegamos à beirada, mas estamos em constante elevação no mercado de trabalho formal. Isso é um ponto positivo”, salientou.

Central de Conteúdo Unidade Rosário

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais