Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
00:00:00
Igreja no Rádio
05:00:00
 
 

Operação Infância Protegida cumpre mandados e efetua prisão em Guaporé

por Eduardo Cover Godinho

Agentes da Delegacia de Polícia Civil (DP), acompanhados de peritos do Instituto Geral de Perícias (IGP), estiveram na empresa e no apartamento do investigado por crime de pornografia infantil

A Polícia Civil do Rio Grande do Sul (PC/RS) desencadeou na manhã da sexta-feira, dia 18 de dezembro, a quarta fase da Operação Infância Protegida. O objetivo é combater o armazenamento, a produção e o compartilhamento de pornografia infanto-juvenil na Internet. Agentes, com apoio de peritos do Instituto Geral de Perícias (IGP), através da Seção de Informática Forense do Departamento de Criminalística, cumpriram sete mandados de busca e apreensão (MBAs) nos municípios de Porto Alegre, Tapera, Pedro Osório, Guaporé, Lajeado e Teutônia.

A investigação, que utilizou técnicas específicas para identificação dos suspeitos, está em curso há tempos e, ao longo de todas as fases da operação, diversas pessoas foram presas em flagrante em atividades realizadas pela Delegacia para a Criança e o Adolescente Vítimas de Delitos, em ação conjunta com os Departamento de Proteção a Grupos Vulneráveis (DPGV) e Departamento de Polícia do Interior (DPI).

Na cidade de Guaporé, conforme o delegado titular da Delegacia de Polícia Civil (DP) Tiago Lopes de Albuquerque, os agentes, acompanhados de dois peritos do IGP, estiveram em uma empresa e no apartamento de um homem, de 53 anos. Nos imóveis, ambos localizados no bairro Centro, foram apreendidos materiais com conteúdo pornográfico infantil como HDs retirados de computadores e de notebooks, pen-drives, cartões de memória, HDs Externos e dois aparelhos de telefone celular, o que embasa a materialidade do crime e, consequentemente, a prisão em flagrante do empresário.

Após ser cientificado que era um dos investigados da Operação Infância Protegida, o homem, enquadrado no artigo 241-B do Estatuto da Criança e Adolescente (ECA) - reclusão, de um a quatro anos, e multa (Incluído pela Lei nº 11.829, de 2008), foi encaminhado para a DP de Guaporé para o registro do flagrante pelo crime de armazenamento de material pornográfico infanto-juvenil. A autoridade policial, conforme determina a Lei para estes casos, arbitrou um valor para a fiança e este foi pago pelo investigado que responderá em liberdade.

Operação Infância Protegida

Além do investigado de Guaporé, a Polícia Civil efetuou a prisão de mais cinco pessoas e apreendeu vasto material com mais de 10 mil arquivos contendo imagens de pornografia infantil durante a Operação Infância Protegida.

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários