Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
09:00:00
Temática
12:00:00
 
 

Cookies e Política de Privacidade
A Tua Rádio utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Em análise de 175 laudos, IGP coloca União da Serra como um dos municípios com maior área desmatada no Estado

por Eduardo Cover Godinho

Conforme levantamento, foram 63,12 hectares suprimidos de vegetação entre setembro de 2020 e setembro de 2021

Foto: Divulgação

O Instituto Geral de Perícias (IGP), através dos profissionais da Seção de Perícias Ambientais do Departamento de Criminalística, divulgou o levantamento de áreas desmatadas e a valoração referente aos 175 laudos periciais elaborados entre os meses de setembro de 2020 e setembro de 2021. No total, a área somada chega a 359 hectares, onde houve corte raso, ou seja, toda a vegetação foi removida. O valor obtido, com custo dos serviços ambientais prestados por esta vegetação, como manutenção do clima, controle da erosão e polinização da área, totaliza R$ 45,55 milhões. O bioma da Mata Atlântica é o mais atingido pelo desmatamento.

Nos dados do IGP, o município de União da Serra apresentou 63,12 ha de vegetação suprimida, liderando o ranking do desmatamento. Os uniserranos, com valoração de RS 7,96 milhões, são seguidos por Lagoa Vermelha (35,54 ha), Sertão (30,13 ha), Caseiros (21,95 ha) e Pinha da Serra (21,60 ha). Entre os 10 figuram ainda: Caiçara (16,24 ha); Muliterno (12,76 ha); Condor (12,65 ha), Vila Maria (11,95 ha) e Sananduva (11,52 ha). A valoração dos 10 que mais desmataram gira em torno dos R$ 30,6 milhões em prejuízos ambientais.

Para chegar a este valor, O IGP leva em conta o estágio de sucessão da vegetação, o tipo de uso do solo na região e a existência de restrições legais para a ocupação. Os peritos da Seção utilizam drones e imagens de satélite, além de dados da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema), do Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe) e do Cadastro Ambiental Rural (Car).

O levantamento feito pelo IGP está de acordo com a Lei de Crimes Ambientais (Lei Federal n° 9.605/1998), que determina que a perícia deve indicar o prejuízo causado pelo desmatamento, o que serve como base para o cálculo de multa e pagamento de fiança, além de fornecer subsídios para processos criminais e cíveis.

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais