Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
00:00:00
Igreja no Rádio
05:00:00
 
 

Cookies e Política de Privacidade
A Tua Rádio utiliza cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Membros do Conselho e Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil voltam a se reunir no Centro Municipal Termignoni

por Eduardo Cover Godinho

Há cerca de nove meses, encontros presenciais haviam sido cancelados em virtude da pandemia da Covid-19. Porém, atividades nunca foram cessadas, afirmou o coordenador Rafael Antônio Pissetti

Foto: Divulgação

“Nunca deixamos de atender a comunidade guaporense ao longo da pandemia da Covid-19. Tivemos eventos preocupantes, como a estiagem que exigiu o deslocamento de caminhões com cerca de 500 mil litros de água para abastecer os produtores rurais e outras situações de risco às famílias ribeirinhas ao Arroio Barracão. Nossos voluntários estão 24 horas à disposição e trabalhando incansavelmente na prevenção e agindo quando necessário para evitar transtornos psicológicos e prejuízos emocionais”.

Com essas palavras o coordenador da Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil (COMPDEC), de Guaporé, Rafael Antônio Pissetti, deu início à reunião presencial no final da tarde da quinta-feira, dia 16 de setembro, nas dependências do Centro Municipal Termignoni, o antigo Curtume. Há cerca de nove meses, os membros do Conselho de Defesa Civil e da COMPDEC, sob presidência do empresário Odair Rossetto, não participavam de encontros para a discussão das atividades desenvolvidas e o planejamento de ações em benefício à comunidade. Todos estavam de máscara e respeitado as normas sanitárias e de segurança preconizadas pelas autoridades governamentais.

No encontro, durante cerca de 40 minutos, houve a apresentação das ações prestadas nos últimos seis meses. “Graças a Deus não tivemos eventos adversos de grande proporção em nosso município, porém as atividades de prevenção são contínuas nos períodos de normalidade. A maior demanda tem sido de vistorias para avaliações técnicas em residências. A constatação é que, na maioria dos casos, são imóveis construídos de forma irregular ou pela falta de manutenção. Todos os casos foram apresentados ao Ministério Público para buscar soluções na execução. Quando identificado grau de alto risco é necessária a interdição da residência”, disse Pissetti.

A coordenadoria salientou ainda que há muitos casos que chegam para os voluntários de árvores de grande porte, como eucaliptos, dentro de propriedades particulares oferecendo risco de queda em imóveis. Outro ponto abordado foi a estiagem que, no primeiro trimestre de 2021, trouxe preocupação para os agricultores. Os voluntários da Defesa Civil transportaram, juntamente com o Corpo de Bombeiros Militar (CMBRS), cerca de 500 mil litros de água para o consumo humano e animal.

“Situação que nos trouxe muito trabalho porque os pedidos chegavam a todo o momento. Conseguimos, com empenho e dedicação dos voluntários, amenizar a falta de água nas propriedades rurais”.

Novas reuniões dos voluntários da COMPEDC estão programadas para acontecer ao longo dos meses de outubro, novembro e dezembro.

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais