Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
06:30:00
Caminhos da Fé
08:00:00
 
 

Distanciamento Controlado: Guaporé na bandeira vermelha por sete dias

por Eduardo Cover Godinho

Governo Estadual não aceitou o recurso e manteve a Serra Gaúcha como área de alto risco de contágio ao coronavírus (Covid-19)

Serra gaúcha ficará com a bandeira vermelha até o dia 20
Foto: Divulgação

A Serra Gaúcha, composta por 49 municípios, não conseguiu reverter, pela terceira vez consecutiva, a decisão preliminar do Governo do Rio Grande do Sul que colocou a região como área de alto risco de contágio ao coronavírus (Covid-19) no modelo de Distanciamento Controlado. Apesar da esperança dos gestores municipais, o Gabinete de Crise do RS não aceitou os novos dados apresentados pela Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (AMESNE), através da equipe do Observatório Regional da Saúde (OBsaúde), e a região segue em bandeira vermelha até o dia 20 de julho. Serão sete dias com maiores restrições nas atividades econômicas consideradas não essenciais.

O documento encaminhado no sábado à noite, dentro do prazo para apresentação do recurso, apontava melhora em três indicadores: queda nas taxas de hospitalização; de ocupação de UTIs; a melhora no número de curados da Covid-19 em comparação à semana anterior. O OBsaúde argumentou que as hospitalizações diminuíram 10% - de 1,08 para 0,98. O Comitê utiliza como base o fato de o índice de UTI Ocupada ter caído 20,1% - 1,44 para 1,15. Foram registradas 44 novas hospitalizações e não 82, conforme o divulgado pelo Piratini. O recurso apontava falhas no número de casos de Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SEGA).

Segundo o presidente da Amense, prefeito de Cotiporã José Carlos Breda, o Estado não foi sensível ao pedido de reconsideração e não reconheceu o esforço que está sendo feito pela Serra Gaúcha no combate à disseminação do vírus.

“Embora com todas as demonstrações de que a região tem condições de permanecer na bandeira laranja, não tivemos o pedido de reconsideração aceito pelo Governo Estadual. Os dados estão estabilizados, há leitos clínicos e de UTI para os atendimentos. O Governo, desta vez, não foi sensível e não reconheceu o esforço que está sendo feito. É lamentável. Nós questionamos a efetividade e o acerto do modelo de Distanciamento Controlado, tendo em vista que não reflete a realidade de cada região”, disse Breda.

Conforme o presidente da Amesne, a região está sendo penalizada devido à piora de indicadores do Estado como um todo e pela rigidez excessiva do modelo de cálculos. Houve, segundo Breda, o encaminhamento de pedidos de revisão, mudanças e esclarecimentos.

“O modelo não reflete a real situação da região. Ele precisa ser aperfeiçoado e faz tempo que nós estamos falando sobre isso. Inclusive, apresentamos sugestões ao Governo Estadual”, afirmou.

Apesar da bandeira vermelha, 25 cidades da Serra Gaúcha, entre elas Fagundes Varela, Nova Bassano, Paraí, União da Serra e Vista Alegre do Prata, seguirão sob regras da laranja, ou seja, classificação de risco médio. Os locais não tiveram mortes e nem hospitalizações nos últimos 14 dias.

 

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários