Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
12:10:00
No Ponto
14:00:00
 
 

Ano começa com dados positivos na empregabilidade formal em Guaporé

por Eduardo Cover Godinho

Após encerrar dezembro em queda, primeiro mês de 2018 apresenta 28 novos vínculos criados na “Capital da Hospitalidade”

O mês de dezembro foi péssimo para os trabalhadores que estavam empregados com carteira assinada em Guaporé. Foram 120 vínculos encerrados em 31 dias, em ano de recuperação no mercado formal. Mesmo com os dados negativos no mês derradeiro de 2017, a cidade fechou com cerca de 180 postos de trabalho abertos. O sinal de alerta estava ligado. Porém, janeiro, segundo dados do Núcleo de Inovação e Desenvolvimento (NID) do Observatório do Trabalho da Universidade de Caxias do Sul, começou com uma boa notícia. A carta mensal do mercado formal de trabalho, que compila dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) – do Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS) – destaca que o primeiro mês de 2018 fechou positivamente.

Seguindo a tendência nacional e do Rio Grande do Sul, a “Capital da Hospitalidade” registrou a abertura de 28 novos postos de trabalho. Nas oito atividades econômicas divulgadas (Extrativa Mineral, Ind. Transformação, Servi. Ind. Util. Pública, Construção Civil, Comércio, Serviços, Adm. Pública e Agropecuária) somente Administração Pública não teve movimentação. Nas demais, três fecharam com dados positivos e quatro negativos. Porém, o número de admitidos (248) foi maior que os desligados (220). Os setores que mais abriram postos de trabalho foram o da Indústria de Transformação, com 59 novas vagas, seguido pela Construção Civil, com 7 vínculos criados. O setor que mais fechou vagas no período foi o de Serviços, com 24 desligamentos, seguido pelo Comércio, com 13 postos encerrados.

“A nossa expectativa (Observatório do Trabalho) é que os números continuem positivos ao longo de 2018. Tivemos um ano de 2017 melhor que os últimos dois, onde a crise nos atingiu em cheio. Sabemos que a variável no mercado de trabalho é muito sensível à crise. É a primeira a sofrer o impacto e demora para recuperar-se. Guaporé, com economia diversificada, tem mostrado sinais de recuperação e a resposta do mercado formal tem surpreendido”, destaca Lodonha Maria Portela Coimbra Soares - coordenadora do Observatório do Trabalho.

O crescimento de Guaporé acompanha o mercado formal de trabalho do Brasil e do Rio Grande do Sul. No mês de Janeiro foram abertos 77.822 postos no território brasileiro, um acréscimo de 0,21% sobre o total de empregos formais. Em solo gaúcho, 17.769 vínculos foram criados. A expectativa é que o ano seja favorável para quem está em busca de uma vaga de emprego.

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais