Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
00:00:00
Igreja no Rádio
05:00:00
 
 

Pronaf apresenta o Plano Safra 2021/2022

por Letícia Brignol

​Entre as principais mudanças está o aumento no limite de crédito para os agricultores familiares

Foto: Divulgação

O Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) apresentou o Plano Safra 2021/2022. Nele constam algumas alterações que podem favorecer a agricultura familiar e facilitar o investimento nas propriedades.

A agricultura familiar tem ganhado cada vez mais espaço, seja na mesa dos brasileiros, correspondendo a 70% dos alimentos que a compõem, ou ainda, tendo boa participação na economia nacional. O movimento sindical, neste ano, batalhou para que não houvesse aumento na taxa de juros, entretanto um pequeno acréscimo foi ajustado, embora as oportunidades de investimento tenham melhorado.

“Os sindicatos levaram uma pauta à Federação, e ela levou até a Ministra da Agricultura Tereza Cristina Correa da Costa Dias. Falamos sobre a nossa realidade, sempre pensando em melhorar para que o agricultor familiar tenha recursos para investir na sua propriedade. O movimento sindical está satisfeito, pois houve uma melhora considerável no plano para a próxima safra”, disse o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Guaporé, Fernando Marcolin.

Marcolin comenta que se alegra ao ver que o pequeno agricultor está sendo valorizado e que isso dá energia para seguirem com o trabalho e pensarem nos próximos passos: “Que a gente possa agora plantar as culturas de verão e produzir alimentos, ajudar o país a movimentar a economia e sair dessa crise que é mundial”.

Para o presidente do STR-Guaporé, o Pronaf foi uma luta do movimento sindical, pois ainda não tinham nenhuma base para que o agricultor familiar pudesse fazer algum tipo de investimento.

Confira as principais mudanças no Plano Safra 2021/2022:

  • Aumento da renda de enquadramento do Pronafiano de R$415 mil para R$ 500 mil.
  • Aumento do teto do Pronaf investimento de R$ 165 mil para R$ 200 mil por mutuário.
  • Aumento do limite de crédito de investimento de R$ 330 mil para R$ 400 mil para as atividades de suinocultura, avicultura, aquicultura, carcinicultura e fruticultura.
  • Aumento do teto do Pronaf Habitação de R$50 mil para R$60 mil por mutuário.
  • Aumento do teto do Pronaf A de R$25 mil para R$30 mil por mutuário.
  • Adequação do risco das operações da linha Empreendedor do Programa Terra Brasil.
  • Aumento das taxas de juros de 2,75% para 3% e de 4% para 4,5% ao ano.
  • Possibilidade de comprar mudas antecipadamente (180 dias) à formalização do financiamento, além de sementes, fertilizantes e defensivos adequados a cultura financiada.
  • Aumento do recurso para a subvenção do Seguro Rural Privado de R$45 milhões para R$50 milhões destinado ao Pronaf.
  • Inclusão de Sistemas Agroflorestais, construção de unidades de produção de bioinsumos e biofertilizantes e projetos de turismo rural no Pronaf Investimento Bioeconomia.

Central de Conteúdo Unidade Aurora

Enviar Correção

Comentários