Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
12:10:00
No Ponto
14:00:00
 
 

Secretário de Trânsito cumpre convocação do Legislativo e esclarece a nova licitação do transporte coletivo de Caxias do Sul

Baixar Áudio por Isadora Helena Martins

Cristiano Soares reforçou que a licitação poderá contemplar duas empresas e disse que foi feita a "Lava a Jato" das planilhas da Visate

Foto: Isadora Martins

O secretário de Trânsito, Transportes e Mobilidade de Caxias do Sul, Cristiano de Abreu Soares compareceu na Câmara de Vereadores nesta quinta-feira (05) para prestar esclarecimentos sobre a nova licitação para o transporte coletivo urbano. Ele atendeu a convocação aprovada no Legislativo.

Também estava presente o diretor técnico da secretaria, Daniel Rech, que explicou alguns pontos da nova proposta da prefeitura como a divisão da cidade em duas bacias que serão atendidas por duas empresas diferentes; o aumento do tempo permitido para a circulação dos veículos; e o cálculo da tarifa. “A bacia operacional um é em cima do eixo leste-oeste do transporte coletivo onde tem as duas estações principais de integração, a Floresta e a Estação Imigrante e a linha troncal; e a bacia dois faz o eixo norte-sul onde tem a linha 02 Salgado Filho / Ana Rech, e depois dividimos as outras linhas de forma que o sistema ficasse equilibrado. A idade máxima que cada veículo pode operar a gente aumentou um pouquinho, de um a dois anos, o que obviamente tem um impacto direto na tarifa”.  

O vereador Elói Frizzo (PSB) rebateu a colocação do técnico e afirmou que da forma como está a proposta da prefeitura os custos vão aumentar. “O atual prefeito se elegeu em cima de duas grandes bandeiras: fazer a ‘Lava a Jato’ das planilhas da Visate e acabar com o monopólio. Essa proposta como foi colocada aqui, primeiro, não acaba com o monopólio porque simplesmente divide em dois lotes e a ‘Lava a Jato’ não passou de um conto de fadas porque não acharam nada até agora. Tecnicamente, na medida em que você estabelecer dois lotes obrigatoriamente vai aumentar os custos, porque são dois sistemas, duas garagens novas, duas estruturas administrativas novas ”, salientou.

Em resposta, o secretário de Trânsito afirmou que a base de cálculo da tarifa já está mais baixa: “Nesse momento a tarifa da nova licitação já vai ser mais baixa do que os R$ 4,25 ofertados hoje. A concorrência se dá no momento da licitação, é ali que as empresas brigam por uma tarifa mais baixa que vai acabar beneficiando a população”.  

Ele completou afirmando que foi feita a “Lava a jato” da Visate: “A tarifa é calculada com o custo total do sistema dividido pelo número de passageiros. Todo mundo sempre olha o custo, mas não olha o número de passageiros. Estranho né? Estanho que desde 2000 até 2017 a Secretaria de Trânsito não tinha acesso ao número de passageiros. Em 2014, 2015, esse técnico [Daniel Rech] comigo aqui, alertou o secretário que o número de passageiros tinha desvio na ordem de 5%. Isso significa que se colocar 5% a menos de passageiros tem um impacto de 12 centavos na tarifa. Ele chamou a atenção disso, dizendo: ‘são 12 centavos que estamos cobrando a mais da população devido à falta do controle do número de passageiros’. Aí, em 2017, começou a Lava a Jato, foi uma exigência minha ter o controle do número de passageiros, coisa que a Visate disponibilizou pra nós com muita dificuldade. 12 centavos é um estrago milionário”.       

 Questionado pelo vereador Gustavo Toigo (PDT) sobre as gratuidades, Soares respondeu: “Essa administração não tem interesse em interferir nas gratuidades. A maioria dos raciocínios que se montam é que tem 30% de gratuidades e a retirada desses 30% de gratuidades geraria uma economia e uma tarifa mais baixa. Isso é uma falha gigantesca, porque isso parte da premissa que as pessoas que andam gratuitamente começariam a pagar passagem. Mas, não é isso que acontece, essas pessoas simplesmente param de usar o transporte. A tarifa é calculada usando todos os custos divididos pelo número de passageiros pagantes, mas, se o número de pagantes não aumentar, não vai mudar nada. Então a gente não acha interessante alterar as gratuidades”.  

Ainda segundo o secretário, a integração tarifária e o itinerário deverão permanecer iguais, mesmo com duas empresas. E questionado sobre a data de lançamento do edital, ele afirmou que não há data definida, mas que será em breve. O contrato entre e a prefeitura e a Viação Santa Tereza (Visate), que é a atual concessionária do transporte coletivo na cidade, vence em maio do ano que vem.

Ouça no link acima da foto.

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais