Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
20:00:00
Tua Essência
23:59:00
 
 

Presidente do Conselho de Saúde relata baixa adesão de médicos ao processo seletivo da UPA Central

Baixar Áudio por Isadora Helena Martins

Segundo Alexandre Silva, para Clínico Geral eram 43 vagas e tiveram apenas 2 médicos contratados até o momento

Foto: Divulgação / Gabriela Bento Alves

O presidente do Conselho Municipal de Saúde de Caxias do Sul, Alexandre de Almeida Silva, fez um pronunciamento na Câmara de Vereadores, durante a sessão desta quarta-feira (04), e demonstrou preocupação com o edital de contratação de médicos que irão atuar na Unidade de Pronto Atendimento Central (UPA Central). Segundo ele, algumas especialidades médicas tiveram baixa adesão dos profissionais no processo seletivo: “Clínico Geral, eram 43 vagas, eles conseguiram dois médicos. A pediatria, que tanto é necessária para atender as crianças das comunidades, tem 18 vagas foi conseguido um médico. E na ortopedia são necessários três médicos para fazer o atendimento e no processo seletivo só um compareceu. E a pergunta é como que vai abrir o PA 24H para atender de 700 a 800 pessoas diárias sem médicos”.

O vereador Rafael Bueno também se manifestou sobre o assunto e disse que a empresa responsável pela administração da UPA Central, o Instituto de Pesquisa e Gestão em Saúde (InSaúde), ainda não tem toda a estrutura pronta para a atuação dos profissionais contratados: “Eu recebi de alguns funcionários que foram aprovados para trabalhar na UPA que eles não têm uniformes no momento e devem comprar um jaleco próprio e ir com eles; eles não têm refeitório nem sala para aquecer a marmita lá na UPA; o regime de trabalho é de 12 por 36 com somente uma folga por mês; eles não disponibilizam armário para a guarda de itens pessoais dos funcionários;  e outra, eles ainda não sabem quanto é a insalubridade porque os advogados ainda não avaliaram o ambiente”.    

Diante das declarações o vereador Alberto Meneguzzi (PSB) voltou a reivindicar que seja feita uma investigação para constatar a regularidade dos contratos tanto do InSaúde quanto do Instituto de Gestão e Humanização que administra a UPA Zona Norte: “Nós precisamos continuar investigando todas as questões relacionadas à saúde. Precisamos investigar a fundo esse contrato com o IGH que administra a UPA Zona Norte; precisamos investigar detalhe por detalhe esse contrato do InSaúde com a prefeitura”.  

De acordo com o Termo de Ajustamento de Conduta firmado entre a Prefeitura de Caxias do Sul e o Ministério Público, o prazo para a abertura da UPA Central (antigo Postão) em pleno funcionamento é até o final deste mês.  

Ouça no link acima da foto. 

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais