Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
12:10:00
No Ponto
14:00:00
 
 

Caxias do Sul registra mais de 200 apreensões de animais em condições precárias

Baixar Áudio por Rodrigo Fischer

Aves nativas representam 75% dos recolhidos. Departamento de Proteção e Bem Estar Animal é o responsável pelo trabalho

Foto: EBC/Divulgação

Prevenir, controlar e reprimir crimes contra a fauna de Caxias do Sul. Este é o trabalho do Departamento de Proteção e Bem Estar Animal, ligado a Secretaria Municipal do Meio Ambiente. Neste ano, o setor apreendeu 256 animais em condições prejudiciais a saúde.

Informações apresentam que a maioria dos animais colhidos são silvestres, representando 75% das apreensões. O número conta apenas as aves nativas, que são recuperadas ou por cativeiro irregular ou pela falta de autorização junto ao órgão ambiental. Canarinho da terra, Azulão, o Trinca-Ferro e o Pintasilgo são as espécies mais encontradas no trabalho de fiscalização do departamento.

Animais silvestres

O coordenador do órgão de Proteção e Bem-Estar Animal, Paulo César Santos, contou um pouco do trabalho que realiza com os animais da fauna nativa encontrados nessas situações.

“Nós realizamos a análise preliminar e aqueles que apresentam a condição de recém-capturados, já são imediatamente libertados. Quanto menos tempo em cativeiro, menos stress e mais tempo de readaptação ao habitat natural. E aqueles que geram qualquer dúvida, seja pelo comportamento ou pelos ferimentos, são enviados ao Cetas do Ibama de Porto Alegre. Lá, eles disponibilizam um viveiro maior e condições mais adequadas aos animais”, detalhou

Animais domésticos

Além de trabalhar com seres silvestres, o departamento lida com a chamada fauna doméstica, que envolve equinos, cães e gatos. Neste ano, o órgão municipal recolheu 62 animais desse tipo, a maioria vítima de maus tratos. Para ter uma ideia, os cachorros representam 80% das apreensões, em que são encontrados feridos e com fome. Santos conta que caso o cão esteja machucado, ele é levado até um médico veterinário para tratar as lesões. Recuperado, o animal é enviado ao Canil Municipal para uma possível adoção.

“Se o animal estiver ferido, ele será recolhido e encaminhado para um atendimento clínico, onde serão realizados exames e raios-X para ver a lesão do cão. Com condições, ele é enviado ao Canil Municipal, sem mesmo ficar na clínica veterinária.”, ressalvou.

Quadro de funcionários

O Departamento de Proteção e Bem Estar Animal possui aproximadamente 22 funcionários. Eles são divididos entre três médicos veterinários, dois agentes de fiscalização externa, três estagiários, dois profissionais ligados à Codeca, além de 12 pessoas de uma empresa terceirizada. Uma grande parte atua no Canil Municipal, espaço ligado ao setor. Conforme Santos, o trabalho vai desde a realização de programas como o Adote por Amor até castrações dos animais, que chegam a 500 operações por mês.

“Realizamos orientações por meio de trabalhos de divulgação de cuidados com a fauna doméstica e nativa, além de efetuarmos palestras ou encontros com a comunidade, chegando a ações de castração de animais. No dia a dia, realizamos atendimentos das denúncias que chegam, fazendo vistorias externas para identificar uma possível situação de irregularidade. Caso não feita as adequações que nossa fiscalização pede, como colocação de casinha e melhor alimentação do animal, abrimos um processo-crime contra os responsáveis.”, revelou.

Caso presencie uma situação irregular de um animal, denúncias podem ser realizadas por meio do site caxias.rs.gov.br, no espaço “Proteção Animal”, ou pelo telefone 3901.1445.

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais