Você está ouvindo
Tua Rádio
Ao Vivo
20:00:00
Tua Essência
23:59:00
 
 

Em média, Caxias do Sul abriu mais de 73 mil postos de trabalho para as mulheres nos últimos cinco anos

Baixar Áudio por Rodrigo Fischer

Em contrapartida, mais de 90 mil homens foram empregados

Foto: EBC/Divulgação

O estudo realizado pelo Observatório do Trabalho, da Universidade de Caxias do Sul (UCS), mostra a inserção da mulher caxiense no mercado de trabalho nos últimos cinco anos. As informações foram retiradas da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) do Ministério da Economia, divulgada neste mês.

Neste tempo, foram abertos em média 73.893 postos de trabalho para as mulheres, enquanto os homens representaram mais de 90 mil dos empregados na cidade. Os indicadores mostram que 2014 foi o ano em que mais mulheres foram contratadas no município, aproximadamente 78.151 empregadas. Em comparação aos homens, o índice mostra-se inferior.

 A coordenadora do órgão universitário, Lodonha Coimbra Soares, afirma que o número baixo de contratação de mulheres é um problema mundial. Em Caxias do Sul, a maior empregabilidade está no setor da Indústria de Transformação, que é caracterizado por contratar mão de obra masculina.

Em 2016 e 2017, o índice de contratação feminina se manteve estável. Os dois anos somados apresentam que mais de 139 mil postos de trabalho foram abertos para as mulheres. Em 2018, os números superaram o ano anterior, uma vez que foram criados 1.340 empregos a mais para esse público.

Conforme Lodonha, a maior participação feminina no mercado de trabalho foi originada pelo aumento de demissões dos homens, principalmente na Industria da Transformação. Ela visualiza que isso fica acentuado de 2014 a 2017, quando houve as grandes exonerações do público masculino.

O estudo do Observatório do Trabalho determina que ocorre uma pequena queda na presença das mulheres em postos de emprego. A análise visualiza que Caxias do Sul apresenta um aumento gradual e estável da participação feminina nas empresas, que pode ser representado pela maior formalização da mão de obra e com a abertura de vagas em locais que necessitam da presença de mulheres.

(Ouça a entrevista no "Ouvir notícia" abaixo da manchete).

Central de Conteúdo Unidade Tua Rádio

Enviar Correção

Comentários

Newsletter Tua Rádio

Receba gratuitamente o melhor conteúdo da Tua Rádio no seu e-mail e mantenha-se sempre atualizado.

Leia Mais